28 de fevereiro de 2011

"A Vergonha" - Crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o BBB

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a
realidade em busca do IBOPE.

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível.
Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da
ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos
exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com
dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados..

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro
estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

24 de fevereiro de 2011

O que perdura


A semente plantada na terra
Aos poucos se transformará
Se for regada e amada
Muitos frutos ela dará.


O amor pra ser duradouro
Precisa ser cultivado
Ainda que existam espinhos
Não pode ficar abandonado


Da vida a gente só leva
O que ficar no coração.
Amar, educar, ter amigos
E a quem se estende a mão.


Assim o casamento
Que é festa e celebração
Vai perdurar enquanto
Houver amor no coração.

Hermes José Novakoski

20 de fevereiro de 2011

AGRADEÇO A DEUS

           Todos nós chegamos sempre ao dia do ano em que somos tomados por um sentimento de gratidão, alegria e esperança: o dia do nosso aniversário.
A vida é dom! Dom de amor do Criador. O que tenho feito com esse dom? Dele Deus pedirá contas um dia.
Por isso hoje, elevo ao Pai do céu uma prece de gratidão. É bom ser de Deus! É bom estar em Deus! Que assim permaneçamos sempre!
O Criador todos os dias renova a natureza para que o nosso dia seja especial e único. Por isso cada momento é único e nunca voltará.
Agradeço Senhor a cada momento de vida que me tens concedido.
Agradeço pela família em que nasci. Pelos pais que me criaram com muita esperança que eu me tornasse uma pessoa de bem e de sucesso. Agradeço pelos irmãos que conviveram e me ajudaram a entender a vida.
Agradeço aos amigos que me acompanham ao longo destes anos. De perto ou de longe, presentes ou ausentes, todos eles são um grande presente na minha vida.
O que seria de mim sem meus amigos?
Deus fez muitas maravilhas na minha vida através dos amigos que me deu. Quantas lágrimas enxugadas! Quantos sonhos partilhados! Quantas brincadeiras e gargalhadas! Quantos medos superados! Quantos conselhos recebidos! Quantos momentos de alegria! Quantos momentos de provação! Quanta maravilha! Sou eternamente grato ao bom Deus por todos os amigos, cada um em especial! É um tesouro, uma preciosidade, sem os quais não saberia viver e a vida não teria o mesmo sentido.
Agradeço, Senhor, pelos nove anos de seminário e quatro anos de Vida Religiosa. Agradeço pelo carisma de São João Calábria, sempre atual e desafiador. Agradeço pelos lugares por onde já passei, pelas pessoas que conheci.
Meu Senhor e meu Deus! Neste dia tão especial que me concedes, aceite minha gratidão, meu louvor, meu coração, minha pequenez, meu desejo de crescer na santidade, de estar sempre mais perto de Ti. Tudo o que tenho é Teu, pois assim me concedestes.
Senhor Deus! Muito obrigado!
Não permita que eu esqueça que sou Teu filho e como tal devo viver!
Com um coração agradecido,

Hermes José Novakoski


16 de fevereiro de 2011

Basílica Santuário Nazaré, Belém Pará

Beleza e reverência. É encantador!


Lugar onde fica guardada a imagem da santa encontrada pelo caboclo Plácido

A imagem está logo acima do altar do santíssimo

Arte nas paredes internas

Órgão. No fundo da Basílica

 Pilares e paredes com muita arte e beleza. Encantador!


14 de fevereiro de 2011

“O ESPAÇO LITÚRGICO”

Para visualizar a fonte da imagem, clique sobre a mesma.

          Cristo é o templo onde habita Deus e a comunidade, participando da sua vida e missão, se torna templo vivo e sua morada. O edifício é a casa da Igreja e a casa de Deus somos nós, a Igreja de pedras vivas, templo espiritual em processo de construção, para formar um sacerdócio santo, destinado a oferecer sacrifícios espirituais que Deus aceita por meio de Jesus Cristo (cf. 1 Pd 2,5).
          Na história em geral e no Brasil o povo foi afastado do essencial, perdeu a referência da Bíblia e da liturgia como a fonte da espiritualidade, e as Igrejas em geral não foram construídas em função da participação litúrgica. Foram muitos séculos de separação entre liturgia e piedade até o Concílio Vaticano II valorizar o sacerdócio dos batizados e propor novamente a liturgia como fonte de espiritualidade e de vida cristã.
          O espaço litúrgico tem como finalidade primeira e fundamental estar a serviço da liturgia, da participação ativa e consciente da assembléia, inclusive dos seus ministros, na ação litúrgica. O espaço deve possibilitar e facilitar para que todos os participantes possam mergulhar no mistério celebrado, de modo que aconteça um encontro intimo entre os membros da assembléia entre si e com Deus.
          O papa Bento XVI, assim afirma: “A liturgia tem uma ligação intrínseca com a beleza. Na liturgia brilha o mistério pascal, pelo qual o próprio Cristo nos atrai a si e nos chama à comunhão (...) A verdadeira beleza é o amor de Deus que nos foi definitivamente revelado no mistério pascal. A beleza da liturgia pertence a este mistério; é expressão excelsa da glória de Deus e, de certa forma, constitui o céu que desce à terra” (Bento XVI, Sacramentum Caritatis, 35). Esta afirmação do papa Bento nos ajuda a entender que, se o centro da nossa vida e da nossa liturgia não for o Mistério Pascal, o espaço o denuncia. Assim encontramos espaços onde o centro não é a mesa da eucaristia, centro do mistério pascal, mas a presidência, ou o padroeiro, Nossa Senhora ou o sacrário, os arranjos florais, ou ainda o dízimo. Temos que buscar a essência e a razão de ser das coisas, para sermos coerentes com o que celebramos e anunciamos, para que os espaços de celebração sejam belos e funcionais para a ação litúrgica.
          Falando em espaço litúrgico belo e funcional, o que garante esta funcionalidade?
·         A participação ativa e plena da assembléia dos pontos de vista visual e acústico, num ambiente acolhedor, cômodo e festivo;
·         O exercício das funções dos diversos ministérios;
·        A realização das diferentes celebrações: eucaristia, batismo, crisma, casamento, penitencia e, sobretudo nas catedrais, ordenações;
·         Deve haver uma sacristia onde se guarda e prepara tudo o que é necessário para as celebrações; preferível são duas, de uma das quais possam sair as procissões de entrada para a nave da igreja;
·         Para outras atividades da comunidade deveriam existir outros espaços, por exemplo: para catequese, as diversas pastorais, reuniões festivas e, não em último lugar, uma secretaria.
Quando se respeita esta funcionalidade, se salva a dimensão do mistério do prédio da Igreja, então o edifício construído manifesta-se como:
·         Lugar da nova criação, a nova Jerusalém;
·          Lugar do homem novo: de Cristo que se faz carne e armou sua tenda entre nós, do corpo de Cristo com seus membros, que em parte estão a serviço uns dos outros;
·         Casa do Pai do céu, que aí acolhe seus filhos e filhas, os alimenta com o pão da Palavra e da Eucaristia, onde a assembléia e cada um podem conversar com ele, também em silencio e recolhimento;
·         Lugar de celebrar o domingo, nossa páscoa semanal e outras festas;
·         Lugar de descansar e recuperar as forças;
·         Lugar de antecipação do oitavo dia, do dia da eternidade.

Uma coisa é certa, o espaço plenamente satisfatório, perfeito sob todos os pontos de vista, não existe e nunca existirá. Mas temos e podemos ter sempre igrejas que ajudam eficazmente aqueles que nelas celebram e rezam, a mergulhar cada vez mais profundamente no mistério de Cristo.

(Considerações baseadas na “Revista de Liturgia”, nºs 196, 205 e 207 da Congregação Religiosas Pias Discípulas do Divino Mestre).
Ir. Lídia Natsuko Awoki, pddm
Artigo publicado com a autorização da autora.

10 de fevereiro de 2011

Santuário N.Sª de Fátima e Forte do Presépio - Belém PA




            FORTE DO PRESÉPIO


            O Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém localiza-se na baía do Guajará, na ponta de Maúri, à margem direita da foz do rio Guamá, dominando a entrada do porto e o canal de navegação que costeia a ilha das Onças, atual cidade de Belém, no Estado do Pará, no Brasil. O forte é um marco da fundação da cidade de Belém.

            Atualmente, nas instalações do Forte do Presépio, o Museu do Encontro conta um pouco do início da colonização portuguesa na Amazônia. Exibe também peças de cerâmica marajoara e objetos indígenas. No interior de suas muralhas ficam expostos antigos canhões e munição usados para proteger a cidade de ataques inimigos.







Vista da baía do Guajará a partir do Forte do Presépio.





OUTRAS FOTOS DA BAÍA DO GUAJARÁ




CIDADE ANTIGA

MERCADO PÚBLICO

9 de fevereiro de 2011

Vídeos diversos

Vale a pena ver.
Arte, ousadia e muito mais neste único espetáculo.

Igreja Católica.
Fazendo o bem aos que mais precisam.
Deus seja louvado.

Cuidar dos idosos é uma gesto de sabedoria.
Veja esse comercial.

Mais vídeos?
Acesse minha página no Youtube, clicando aqui.

6 de fevereiro de 2011

Catedral Metropolitana de Belém e um pouco da cidade

Praça em frente a Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana

Imagens no interior da Catedral Metropolitana 

Imagens no interior da Catedral Metropolitana 

 Altar da catedral. Uma riqueza artística sem igual, com pinturas que revestem todo o interior do templo. 

Piano da Catedral. 

 Figuras como esta estão em todas as paredes da catedral. Ricas em detalhes e desenhadas com muita perfeição

 Cidade de Belém

Cidade de Belém
Cidade de Belém - Shopping Center

3 de fevereiro de 2011

BUQUÊ DE SORRISOS


Já viram um buquê de sorrisos?
Acredito que dirão: nunca vi!
Já devem ter visto um buquê de rosas,
De jasmins, de lírios e alfazemas!
Já viram buquê de noiva, branquinho,
Alvacento e puro!
Já viram também de açucenas!
Mas sei que nem se lembram de terem visto
O mais belo buquê que Deus nos deu!
Aquele que enfeita a alma e faz feliz!
Não farei mais suspense, já lhe digo:
O buquê de sorrisos das crianças do Abrigo!


Conheça melhor o trabalho desenvolvido pelo Abrigo João Paulo II visitando o site
Imagem: Site Abrigo

2 de fevereiro de 2011

FILOSOFIA: A ALMA DA EDUCAÇÃO


Voltamos a falar desse assunto tão antigo, mas sempre novo e instigador. Algo que para alguns é uma chatice, mas para outros é provocador: a importância da Filosofia na Educação.
Quando falamos em Educação, falamos desde o ABC que aprendemos até ao PHD. A Filosofia, por sua natureza, é inerente em todas as fases da Educação. Se não a valorizarmos como deveríamos, estamos perdendo tempo.
A Filosofia é a “ciência geral dos princípios e causas ou sistema de noções gerais sobre o conjunto das coisas; esforço para generalizar, aprofundar, refletir e explicar; sistema de valores, força moral e elevação de espírito com que o homem se coloca acima dos preconceitos; sabedoria”. (Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira)
A valorização da Filosofia é fazer com que ela esteja presente na escola, não só como disciplina curricular, mas que faça parte de todos os processos de elaboração, avaliação e execução de qualquer outra disciplina ou atividade. Com uma visão crítica sobre a necessidade e a importância de cada matéria, será definido o perfil dessa mesma escola. Por isso cada escola deve construir sua grade curricular a partir, não só do que é obrigatório, mas do que é necessário para a sua região. Construir a partir de urgências que clamam por soluções, responsabilizando toda a comunidade escolar, que inclui pais, alunos, professores e vizinhos.
Em outro texto falamos da importância da Filosofia na Educação. Agora precisamos refletir como a Educação cai na superficialidade sem a presença da Filosofia. Isso porque, sem a presença da Filosofia, a própria Educação deixa de ser crítica e passa a funcionar como uma montadora de automóveis, onde as peças são encaixadas para que o veículo funcione de acordo com as necessidades do projeto e do usuário. Sai com um manual de instruções para as peças poderem ser recolocadas e consertadas em caso de estrago e elas voltarem a rodar por mais um tempo.
Muitas vezes as escolas fazem esse papel. E o pior de tudo é saber que o fazem de forma consciente. Vão incutindo em seus alunos uma medida exata de Português, outra de Matemática, Geografia, História, Ciências etc. Tudo é tão bem encaixado, que o aluno passa a funcionar como uma máquina, um robô planejado para uma determinada função. Aí, no final da produção, vem o teste de qualidade: de cabeça erguida e cheio de orgulho com um papel na mão, o professor revisa as peças para ver se estão bem encaixadas. Se alguma coisa estiver fora do lugar o produto final é reprovado, aí vai para a reciclagem ou direto para o desmanche. Vira sucata para receber uma nova forma.
Em muitas instituições de ensino, infelizmente, o processo educacional já encarnou esse terrível e deteriorante processo. Passa os conteúdos sem jamais refletir sobre eles. Os alunos têm que engolir como se fosse a verdade, sem jamais ousarem discordar ou questionar. É como engolir farofa sem água. Lamentavelmente até algumas universidades estão fazendo a mesma coisa com os seus alunos. São grandes montadoras que funcionam para um determinado mercado, exigente com a qualidade externa do produto e não com o valor do mesmo. Tudo é descartável: se não funciona como se quer, troca-se por outro igual, ou melhor. E assim sucessivamente...
A Educação deveria estar preocupada em formar cidadãos e não peças para um mercado de trabalho sempre mais desumanizador. Deveria se preocupar em formar cidadãos de bem, e não meros robôs a serviço do mercado. Estão ensinando competição em vez de participação e, cada vez mais, temos pessoas formadas, mas não educadas; com diploma, mas sem sabedoria; com títulos, mas sem conhecimento. Isso tudo é fruto de uma Educação muito superficial e sem qualidade, em todos os níveis.
É lamentável que isso ainda esteja acontecendo em nosso século, depois de tantas conquistas e de tanta evolução. Estamos evoluindo na descoberta de novos planetas e no conhecimento das ciências exatas, enquanto regredimos no conhecimento da pessoa e da humanidade; deixamos de buscar as formas inteligentes de viver e somente encontramos formas auto-destruidoras.
Antes de nos perguntarmos sobre qual país e qual sociedade queremos, temos que nos perguntar: qual a Educação que temos?
É pela Educação que se conhece um povo. Não adianta ter títulos, troféus, diplomas, se não temos conhecimento e sabedoria. Corremos o risco de ter tantos papéis e títulos que nem saberemos para que possam servir!

Hermes José Novakoski