30 de junho de 2011

Cristo sorrindo - imagens

Cristo realizou sua missão com muito amor e empenho.
As figuras abaixo falam de Jesus como poucos conseguiram reproduzir até hoje.








Imagens recebidas por e-mail sem a identificação do artista. Se souber, avise!

29 de junho de 2011

Amigo

VOCÊ NÃO É PIZZA
+ é massa ...

VOCÊ NÃO É PALITO
+ é gente fina...

VOCÊ NÃO É O PROGRAMA DO GUGU NO DOMINGO
+ é legal..

VOCÊ NÃO É PROMOÇÃO
+ é um barato...

VOCÊ NÃO É REVISTA
+ estou contigo...

VOCÊ NÃO É UMA DAS 7 MARAVILHAS DO MUNDO
+ poderia ser...

VOCÊ NÃO É BRAHMA
+ é número 1...

VOCÊ NÃO É CHOCOLATE
+ tem prestígio...


:::::::::::: ENFIM ::::::::::::


MEU CARINHO POR VOCÊ NÃO É A 'TIM'
+ é sem fronteira!!!!

Você conhece o relacionamento entre seus dois olhos?

Eles piscam juntos,
eles se movem juntos,
eles choram juntos,
eles vêem coisas juntos
e eles dormem juntos,
Embora eles nunca vejam um ao outro...

A amizade deveria ser exatamente assim!



OBS: Mensagem recebida por e-mail sem identificação do autor. Se você conhece, avise para que sejam dados os créditos.

22 de junho de 2011

“ISTO É O MEU CORPO” (Lc 22,19) - Reflexão de Corpus Christi

A festa do Corpo e Sangue de Cristo, também conhecida como Corpus Christi, é um momento de fé onde os cristãos católicos manifestam seu amor e fé a Jesus presente na Eucaristia.

“A festa de Corpus Christi não é veneração supersticiosa de um pedacinho de pão, nem simplesmente ocasião para procissões triunfalistas pelas ruas. É comprometimento pessoal e comunitário com a vida de Cristo, dada por amor até a morte.” (Vida Pastoral – maio-junho 2011 – ano 52 – n. 278, p. 59).

Adorar Jesus Eucarístico não é um simples e qualquer gesto, mas uma grande atitude de fé e de compromisso com a vida e a pessoa de Jesus.

A Eucaristia não é um pedaço de pão, mas como Jesus diz, é o seu próprio Corpo (“Isto é o meu corpo” – Lc 22,19) dado por nós, para nos alimentar e fortalecer em nossa missão. É pão vivo, descido do céu e que conduz à salvação, à vida eterna; “Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente” (Jo 6,51).

Comungar é permanecer em Jesus e Jesus permanecer em nós: “quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele” (Jo 6,56). Por isso é que comungar é compromisso. Quem comunga e não se compromete com o projeto de Jesus não entendeu o verdadeiro sentido da Eucaristia.

Desejo que a celebração de Corpus Christi nos fortaleça em nossa missão de evangelizadores e nos comprometa sempre mais com o projeto de Jesus e a vida dos irmãos, especialmente os menos favorecidos.

A Eucaristia é o ponto de unidade entre nós cristãos.

Que Ela nos fortaleça e anime na comunhão.

Pe. Hermes José Novakoski, PSDP

21 de junho de 2011

Vida Religiosa: não podeis servir a Deus e ao poder


A Vida Religiosa desde sua origem é uma forma de testemunhar o amor de Deus no mundo. Viver a radicalidade do batismo na consagração total a Deus é um desafio sempre atual e profético em meio a um mundo que vive só pelo interesse, prazer e poder. 

O desafio sempre foi o de se inculturar sem deixar que a forma de pensar e ser do mundo entrasse na Vida Religiosa mudando seus valores e sua forma de pensar. O desafio à fidelidade é grande e sempre atual, pois diz quem nós somos, o que queremos e para onde estamos indo.

Tudo isso, porém, tem um preço, nem sempre baixo. A tentação é adaptar nossas obras, nossos carismas, nossa forma de pensar com a do mundo globalizado, tantas vezes criticado, mas muito criativo e sedutor. Se isso acontece, contudo, a Vida Religiosa, suas atividades, os diversos carismas deixam de exercerem sua real missão, perdendo de vez o significado da sua existência.

Precisamos nos inculturar (conhecer novas culturas e ver o que se pode fazer a partir do carisma específico de cada Instituto), mas sem nunca perder de vista o horizonte que é Deus. Adaptadas as necessidades atuais, nossas obras devem estar sempre a serviço da promoção da vida de todos, especialmente daqueles que não têm ninguém por eles.

É triste ver que muitas vezes a cultura “mundana” que tanto se critica, entra de cheio em nossas obras, tornando-as iguais ou piores daquelas mantidas por organismos não religiosos. Muitas foram fechadas por não darem mais lucro. Mas que lucro buscamos? Não seria o de aproximar mais as pessoas de Deus? Se buscamos apenas o lucro financeiro, acredito que muitas atividades perderam sua real dimensão e função.

Em muitas das empresas impera um clima de individualismo e disputa de poder. Infelizmente esse espírito, que acredito não ser nada evangélico, também entrou em muitas das nossas obras. Religiosos e religiosas disputando espaço e poder como se fossem duas crianças querendo pegar o mesmo doce. É compreensível que as crianças briguem por um momento porque o doce é algo sedutor para elas. Mas é inadmissível que na Vida Religiosa existam disputas pelo poder, pelo simples fato de que nós temos em primeiro lugar a missão de viver como Jesus viveu: ele não ficou disputando lugar nem função com ninguém.


Também pesa o fato de que todos os religiosos recebem por muitos anos formação humanitária, social, acadêmica, religiosa dentro do cristianismo orientada pelos seus Institutos. Porém, muitas vezes, nossas atitudes contradizem o que estudamos nesse tempo. É um verdadeiro farisaísmo.

Esquecemo-nos também que Jesus disse que o maior é aquele que serve e não aquele que oprimi (Cf Jo 13,14). É claro que dentro das estruturas, a alguns é confiada a missão de administrar. As obras precisam de pessoas preparadas e com espírito realmente cristão. Nunca devíamos nos esquecer, porém, que quanto maior a função, maior deveria ser nosso espírito de humildade diante de Deus e dos irmãos, pois “a quem muito é dado, muito mais será cobrado” (Cf Lc 12,48).

Se a humildade deixar de ser o alicerce de nós religiosos e das nossas obras, nós e elas perdemos a razão de existir no mundo. Se o Evangelho não for a primeira e principal regra, deixamos de exercer nossa função. Talvez por isso a Vida Religiosa está em crise em nosso tempo. Será que em primeiro lugar não está faltando o espírito de humildade, acolhida e fraternidade entre nós?

Que o Senhor nos ajude na fidelidade ao seu chamado e purifique nosso coração.

Hermes José Novakoski

20 de junho de 2011

O MESTRE DOS MESTRES, de Augusto Cury


Que o "MESTRE DOS MESTRES" lhe ensine que nas falhas e lágrimas se esculpe a sabedoria. 
Que o "MESTRE DA SENSIBILIDADE" lhe ensine a contemplar as coisas simples e a navegar nas águas da emoção. 
Que o"MESTRE DA VIDA" lhe ensine a não ter medo de viver e a superar os momentos mais difíceis da sua história. 
Que o "MESTRE DO AMOR" lhe ensine que a vida é o maior espetáculo no teatro da existência. 
Que o "MESTRE INESQUECÍVEL" lhe ensine que os fracos julgam e desistem, enquanto os fortes compreendem e têm esperança. 
Não somos perfeitos. Decepções, frustrações e perdas sempre acontecerão, mas Deus é o artesão do espírito e da alma humana. Não tenha medo! Depois da mais longa noite surgirá o mais belo amanhecer. Espere-o! 
Todos nós passamos por determinadas angústias e ansiedades, pois algumas mazelas da vida são imprevisíveis e inevitáveis. 
Na escola da existência aprende-se que se adquire experiência não só com os acertos e as conquistas, mas, com as derrotas, as perdas e o caos emocional e social. 
Foi nessa escola tão sinuosa que Jesus se tornou o "MESTRE DOS MESTRES".


7 de junho de 2011

VENHA, ESPÍRITO SANTO

Venha Espírito Santo. Encha os nossos corações com os seus dons.


Dê-nos o dom da Sabedoria para sempre escolhermos as coisas certas e vermos a vida e
os acontecimentos com os olhos de Deus.

Dê-nos o dom da Inteligência para discernirmos com prudência tudo o que acontece e percebermos o que é a favor da vida.

Dê-nos o dom do Conselho para acolhermos em nossa vida a graça e a ação de Deus e tornar-nos bons conselheiros.

Dê-nos o dom da Fortaleza para não cairmos diante das dificuldades e das propostas enganadoras.

Dê-nos o dom da Ciência para aplicarmos tudo o que temos e sabemos a favor da vida,
especialmente a dos menos favorecidos.

Dê-nos o dom do Entendimento que nos faz compreender e conhecer Sua Palavra.

Dê-nos o dom do Temor de Deus que nos faz respeitar o Criador como Ele merece.
Aprendemos que respeitando a Deus respeitamos o próximo.

Dê-nos, Senhor, os seus dons!
Por meio deles podemos ser transformados no amor e assim transformarmos o mundo.

Que a Sua verdade sempre nos ilumine,
Sua justiça nos sustente,
Seu amor nos congregue,
Seu Espírito nos oriente a permanecermos no caminho da paz. 



Espiritualidade             Página Inicial

4 de junho de 2011

EM VERSOS AGRADECER

Olá amigos e amigas. 

Hoje, dia 4 de junho, faz seis anos que comecei a publicar no site Recanto das Letras. 

Foi através deste site que encontrei muitos amigos, por isso não poderia deixar passar em branco essa data. 

Para celebrar, agradecer, lembrar, quero


EM VERSOS AGRADECER
(clique no título para conhecer a página no Recanto das Letras).



Pensando no que poderia dizer
Para poder celebrar
Os seis anos com os amigos
Muitas coisas partilhar.

Neste espaço tão belo
De conhecimento e partilha
Sonhos viram poesia
Poesia se transforma em vida...


Amigos de todos os lados
Encontram-se e se abraçam.
Selam amizades jamais vistas
Aprofundam as que persistem.


Há seis anos tudo começou
Um simples rabisco fez despertar
O gosto pela leitura e pela escrita,
Fizeram um mundo desbravar!


Lembro esse dia com alegria,
Nunca pensei até aqui chegar!
Louvado seja Deus por tudo
Também por nos encontrar.


Partilhamos momentos diversos:
A beleza e a grandeza da vida.
As sombras e as luzes que temos
Tomam forma e voz na poesia.


Termino assim os meus versos.
De gratidão e reconhecimento
Por tudo o que recebi e aprendi
Até este belo momento!


Desejo que continuemos
Unidos pela amizade e poesia.
Que todos sejam felizes em tudo,
Que seus sonhos se realizem um dia!


Pe. Hermes José Novakoski


Alguns números: 
Publicações: 418
Leituras: 194.286


Por cada click, por cada comentário, por tudo, meu AGRADECIMENTO! 

Deus seja louvado por esta comunhão que formamos.

1 de junho de 2011

Violência em Brasília

Reportagem do Fantástico mostra a fragilidade dos poderes públicos em conter a violência, elevando com isso os índices de mortes, assaltos, sequestros em todo o país.
Investimentos mal feitos, mal projetados. Dinheiro público que não é aplicado como deveria.
Até quando?

O Brasil tem milhões para a COPA, mas não tem para a educação e saúde. O que se quer com isso?

Acompanhe a reportagem no link abaixo: