26 de agosto de 2011

“Tome a sua cruz e me siga” - 22º Domingo do Tempo Comum


Ser cristão não é brincadeira. O amor a Jesus é exigente. Ele não quer meias medidas, um seguimento mais ou menos, pelo meio. Ele quer de nós totalidade e radicalidade. 

Neste quarto Domingo do Tempo Comum, rezamos e celebramos a vida e a vocação dos leigos nos mais diversos ministérios, de modo especial os catequistas. Vale a pena refletir sobre a missão desses voluntários na Evangelização. Todos nós tivemos um catequista. Sua missão é educar na fé as crianças e os jovens. Mostrar JESUS para eles e o que implica esse seguimento e esse amor.

Celebramos no domingo passado a vocação à Vida Religiosa. Os religiosos são chamados por Deus a testemunhar o seu batismo na radicalidade. Os catequistas são chamados a testemunharem o amor de Deus na educação da Fé dos catequizados. Vocações diferentes, mas o amor é um somente: JESUS CRISTO. É Ele quem escolhe, convida, consagra, seduz, usando a linguagem do profeta Jeremias: “Seduziste-me, Senhor, e deixei-me seduzir” [Jr 20,7].

Uma vez seduzidos por tão grande amor, não podemos ficar parados, quietos. Somos convidados a carregar nossa cruz e seguir os passos do Mestre. Seu amor é tão grande que nos fortalece e anima e não leva em conta nossas fraquezas e misérias. Dizer-se cristão é assumir como projeto de vida o que Jesus fez e viveu. Configurar-se com o Mestre não é fácil, é por isso que Ele mesmo nos diz:

“Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga” (Mt 16,24).

O seguidor, o discípulo é aquele que valoriza o que o Mestre quer e não o seu próprio querer. Seguir Jesus é perder a vida, é doar-se na totalidade, sabendo que ele não nos abandonará nunca: “Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; e quem perder a sua vida por amor de mim vai encontrá-la”. [Mt 16,26].

Assim como os sacerdotes, as famílias, os religiosos, também os catequistas e todos nós cristãos somos chamados a transformar o mundo. Ser luz, ser sinal de vida, de esperança e apontar para Cristo que salva a todos.

Termino esta reflexão com o belíssimo texto da carta de São Paulo aos Romanos, que nos chama a atenção para a nossa missão de cristãos:

“Pela misericórdia de Deus, eu vos exorto, irmãos, a vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: este é o vosso culto espiritual. Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito” (Rm 12,1-2).

Deus abençoe a todos!

Pe. Hermes José Novakoski


LEITURAS DO 22º DOMINGO DO TEMPO COMUM
I Leitura: Jeremias 20,7-9
Salmo: 62(63)
II Leitura: Romanos 12,1-2
Evangelho: Mateus 16,21-27