20 de janeiro de 2012

O dia das crianças esquecidas


Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças de mãos calejadas pela luta que não é delas.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças de armas em punho, em guerras que não escolheram.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças com fome de pão, num mundo de desperdícios.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças sem tecto, em ruas com palacetes.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças que não brincam, num mundo de playstations.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças sem escola, em tempos de “oportunidades”.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças institucionalizadas, num mundo de casais inférteis.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças sem família, em tempos de “recomposição”.
Peço perdão às crianças de olhar triste,
Às crianças estigmatizadas, num mundo que apregoa a “igualdade”.
Peço perdão… em vão… 
ou talvez não! 
Porque só a criança tem o dom de perdoar
os que a ignoram e a fazem sofrer… 
Mesmo sem saber porquê, 
Ela sente, lá no fundo…
Que só com Amor
Se pode crescer!
Só o Amor 
Poderá resgatar a alegria
Para o seu olhar!

Ana Cláudia Albergaria 
No dia da criança (esquecida)!