17 de julho de 2015

Olhar de compaixão do bom Pastor

Estamos no 16º Domingo do Tempo Comum e a Igreja nos convida a acolher e imitar as práticas do bom Pastor, Jesus Cristo. (Evangelho Marcos 6, 30-34).

O profeta Jeremias (23, 1-6) diz que o Senhor condena os pastores que não cuidavam do seu rebanho e por este motivo o rebanho não sabia por onde caminhar. Por isso Ele diz que suscitará um pastor que "fará valer a justiça e a retidão".

No Evangelho Jesus aparece como o Pastor atento as necessidades, com um coração bom, cheio de compaixão. "Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor". Ele estava atento e percebia as necessidades das suas ovelhas, por isso "começou a ensinar-lhes muitas coisas".

A dinâmica é interessante. Só pode haver pastor se houver ovelhas; mas as ovelhas precisam acolher os ensinamentos do Pastor. Se elas quiserem caminhar sozinhas não poderão ser alimentadas pela sabedoria do Pastor.

Vivemos hoje um momento particular. Olho por exemplo para o Papa Francisco. Quanta sabedoria e quanto esforço em ser para todos nós o Pastor bom. Aplaudimos seus discursos, atitudes, mas parece que o que ele diz e faz não entra com facilidade em nossos corações. Por quê? Queremos ser ovelhas que pensam que sabem caminhar sozinhas. Se não há ovelhas, haverá pastor?

Isso acontece também na vivência da fé. Queremos apenas aquilo que nos agrada. Somos muitas vezes ovelhas teimosas e exigentes. As multidões acolhiam os ensinamentos de Jesus. Viviam? Alguns sim. Outros nem tanto. Hoje se repete a mesma cena. Corremos para ouvir o Papa, a Palavra, mas Ela nem sempre encontra espaço para produzir frutos em nossa vida.

Quando acolhemos esta Palavra e nos esforçamos em vivê-la, nos tornamos pessoas novas (II Leitura Efésios 2, 13-18). Abrem-se para nós as portas para termos acesso ao Pai. Ele se revela a nós e não queremos mais abandonar o Pastor ou ir em busca de outros pastores.

Deus é generoso para conosco. Ele nos dá muito, muito mais do que pedimos. Sua graça é uma fonte que nunca seca e nos surpreende. Mas só recebe quem busca, quem ouve, quem guarda Sua Palavra.

Você consegue distinguir o bom Pastor dos falsos pastores? A Palavra nos dá estes elementos. Fiquemos atentos.

Senhor, "multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos" (Oração do dia).

Para que possamos dizer como o salmista (Salmo 22): "O Senhor é o Pastor que me conduz; não me falta coisa alguma".

Participe da sua comunidade. Alimente-se da fonte da graça: Palavra e Eucaristia. Seja imitador do Pastor. Abençoado domingo e abençoada semana.

Pe. Hermes Novakoski