13 de agosto de 2015

VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA PARA SERVIR DO JEITO DE MARIA

O terceiro Domingo do mês de agosto, Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, a Igreja celebra a Vida Religiosa Consagrada. Este estilo de vida é presença na Igreja desde os primeiros séculos sendo um sinal da manifestação do amor de Deus. O jeito de servir de Maria é fonte de inspiração àqueles que desejam seguir mas de perto à Jesus Cristo na Vida Religiosa.

O Evangelho deste domingo (Lucas 1,39-56) nos traz o relato da visita de Maria à sua prima Isabel. O encontro de duas criaturas que foram amplamente agraciadas por Deus porque n’Ele confiaram plenamente. Maria vai ajudar sua prima que estava grávida. Leva ao encontro dela o Salvador e Isabel reconhece a presença de Deus nela. Isabel não acolhe apenas sua prima, mas também o Filho de Deus.

A missão da Vida Religiosa Consagrada se assemelha muito a de Maria. Ela se coloca a serviço e leva às pressas a ajuda a quem precisa. Através das inúmeras atividades desenvolvidas, conforme o Espírito Santo suscita, a Vida Religiosa se coloca à serviço dos mais pobres e excluídos e leva, lá onde está, uma palavra de esperança, fé, conforto e alegria. Ao longo dos séculos tem ido muitas e muitas vezes as periferias existenciais levando conforto a tantas almas abandonadas ao acaso.

Como Isabel, precisamos ter os olhos atentos e o coração aberto para acolher a presença de Deus que se manifesta àqueles que o buscam de coração sincero e vai se revelando a medida que encontra espaço, abertura, amor.

Queremos neste final de semana louvar e bendizer a Deus por tudo o que Ele tem feito através da Vida Religiosa Consagrada. Nós somos apenas instrumentos em suas mãos. Por isso o cântico de Maria é expressão do reconhecimento de tudo o que Deus têm feito pelo seu povo ao longo da história. Hoje elevamos o mesmo hino proclamando as maravilhas que Deus realiza através da Vira Religiosa. Vamos cantá-lo com Maria:

"A minha alma engrandece o Senhor,
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador,
pois, ele viu a pequenez de sua serva,
eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita.
O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam.
Demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos.
Derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou.
De bens saciou os famintos
despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,
como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre".


Gostaria ainda de chamar a atenção para mais um aspecto: reconhecer a presença e ação de Deus na história. Hoje vivemos um tempo onde importa apenas o presente. Parece que o passado não tem valor. Esquecer o passado é deixar de lado a memória dos que nos precederam. Através deles Deus fez muitas coisas e continua fazendo. Acolher este passado com respeito, carinho é reconhecer que Deus está guiando a história.

Hoje a nossa oração é pela missão da Vida Religiosa e para que ela continue sendo animada pelo Espírito Santo e levando Jesus àqueles que sentem fome e sede da Verdade. Peçamos ao dono da messe que suscite muitos corações generosos para este seguimento.

Pe. Hermes José Novakoski, PSDP.