15 de outubro de 2015

O troco da natureza

Ao acompanhar os temporais no RS, seca em outras regiões do país, entre outros fenômenos mundiais, vemos que a natureza está cansada de tanto descaso com ela. Muitas atitudes, como lixo em lugares inapropriados, uso de agrotóxicos, poluição dos carros e indústrias, fazem aumentar o caos. Chegamos num limite e a natureza começa a dar suas respostas a tanto sofrimento que ela vem sofrendo a séculos. 

O capitalismo fez de nós destruidores do meio ambiente, explorando além dos limites. Porque se fosse tirado o suficiente para a manutenção da vida e cuidado do todo, não teríamos chegado a esse ponto. E o pior de tudo isso, não vemos atitudes significativas também por parte das autoridades. Nada, ou muito pouco, está sendo feito para mudar tudo isso. Acostumamo-nos a tirar, explorar e não aprendemos a cuidar e repor. Isso fará falta e pagaremos preços altos por estas escolhas mal feitas. 

Tudo isso é reflexo da ausência de Deus em nossa vida. Quando buscamos o criador, temos amor à sua criação. O problema com isso é que esquecemos que somos criaturas e queremos dominar a criação como se fôssemos donos dela. Ela não é nossa. Se vivermos em harmonia, teremos vida em abundância para todos. Como dizia São João Calábria: "Para grandes males, grandes remédios!" O remédio é a oração. Voltar para Deus.

Pe. Hermes J. Novakoski