26 de dezembro de 2015

FAMÍLIA DE NAZARÉ - Reflexão 27/12

As festas do Natal continuam sendo celebradas por oito dias, o que chamamos de oitava do Natal. Todos estes dias para celebrar um grande acontecimento que não pode ser esgotado em uma única celebração. Dentro destes oito dias, temos no primeiro Domingo depois do Natal, a celebração da Sagrada Família.

Somos convidados, irmãos e irmãs, a olhar para a Sagrada Família e aprender e resgatar dela elementos importantíssimos para serem vivenciados em nossas famílias. Vamos refletir sobre cinco aspectos.

Primeiro aspecto: Deus quis que o seu Filho Jesus nascesse em uma família. Ele poderia ter vindo de forma mágica já adulto. Mas o Pai, na sua infinita Sabedoria e valorizando a missão da família, quis que o seu Filho fosse acolhido por uma família e nela vivesse todas as fazes do desenvolvimento humano. Ele mesmo, sendo o criador, assumiu a natureza humana e viveu como um de nós. Aqui lembramos a importância e a beleza da família. Sua missão de transmitir e cuidar da vida. Na família aprendemos os primeiros valores, as primeiras palavras e fazemos a primeira experiência do amor, sendo amado e amando.

Segundo aspecto: Educação da prole. Muitos pais delegam às escolas, babás ou a catequese a missão de educar seus filhos. Deixam de lado seus deveres como primeiros responsáveis pela formação deles. Quando não encontram em casa o que precisam, buscam na rua e lá encontram o que não deveriam aprender.

Terceiro aspecto: Família, lugar de oração. Vemos no Evangelho deste Domingo (Lucas 2,41-52) que Maria e José frequentavam o Templo e levavam Jesus. Quantos pais mandam seus filhos para a catequese ou até para a missa, mas não vão lá. Outros que só marcam presença em alguns acontecimentos do filho. Está errado. É missão da família iniciar seus filhos na fé. Feliz a família que ainda reza e acredita no valor e no poder da oração. Bonito quando vemos que ainda tem famílias que acreditam e colocam em prática esta virtude. Serão felizes e abençoadas abundantemente.

Quarto aspecto: Família, espaço para aprender e praticar valores. A Carta de São Paulo aos Colossenses (3,12-21) nos dá algumas pistas de valores que devem ser vivenciados em nossas famílias: “revesti-vos de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente, se um tiver queixa contra o outro. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai vós também. Mas, sobretudo, amai-vos uns aos outros, pois o amor é o vínculo da perfeição. Que a paz de Cristo reine em vossos corações... E sede agradecidos. Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em vós. Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria. Do fundo dos vossos corações, cantai a Deus salmos, hinos e cânticos espirituais, em ação de graças. Tudo o que fizerdes, em palavras ou obras, seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo. Por meio dele dai graças a Deus, o Pai. Esposas, sede solícitas para com vossos maridos, como convém, no Senhor. Maridos, amai vossas esposas e não sejais grosseiros com elas. Filhos, obedecei em tudo aos vossos pais, pois isso é bom e correto no Senhor. Pais, não intimideis os vossos filhos, para que eles não desanimem.”

Quinto aspecto: amemos nossa família. Triste é ver pessoas que falam mal da própria família e nada ou pouco fazem para que ela seja melhor. Nascemos em uma família que Deus quis e não nós, então é esta que devemos amar e ajudar para que ela seja sempre melhor.

Desejo que a Sagrada Família de Nazaré seja sempre modelo de fé, amor, diálogo, perdão, oração, perseverança, escuta. Olhemos para ela e imitemos suas virtudes.

Pe. Hermes José Novakoski, PSDP.