12 de fevereiro de 2016

NO DESERTO DA VIDA

Estimados irmãos e irmãs. Na última quarta-feira, com a celebração das cinzas, iniciamos o Tempo da Quaresma. Ou seja, quarenta dias de um grande retiro, deserto onde somos chamados a levar mais a sério nosso caminho de conversão. De fato é um caminho. Não pode ser feito de momentos estanques.

No Evangelho (Mateus 6,1-6.16-18) da missa da quarta-feira de Cinzas, Jesus nos falava sobre os aspectos importantes para um verdadeiro caminho de conversão: 1º Fazer bem as coisas sem reclamar e murmurar. O bem deve ser feito porque ele é bom em si mesmo e não para se autopromover. 2º A esmola deve ser feita também no escondimento. Ninguém precisa saber que você está ajudando o outro, somente Deus e você. Isso basta! 3º A oração deve ser no silêncio e na intimidade com o Senhor. Quando verdadeira, a oração transforma nossa vida e nos aproxima mais de Deus.

Estes são alguns elementos práticos que nos ajudam a viver a nossa fé de forma coerente. O cristão é chamado a promover a vida, como a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano nos convida, em todos os sentidos. Nossas palavras, ações, pensamentos, sentimentos devem promover e respeitar a harmonia com que o Criador fez tudo.

Neste primeiro Domingo da Quaresma, a liturgia da Igreja nos apresenta para oração e reflexão o trecho do Evangelho de Lucas (4,1-13) que fala das tentações que Jesus sofreu no deserto da sua vida e do seu coração.

Vale lembrar que na Bíblia quando se fala de deserto não nos remete obrigatoriamente ao espaço físico como tal, mas ao silêncio e ao encontro profundo com o Senhor. No deserto temos menos distrações, aí então ele nos convida ao recolhimento, ao silêncio e ao encontro consigo mesmo.

Assim como Jesus foi tentado a abandonar a missão a qual o Pai lhe confiou, assim também nós podemos ser tentados a abandonar a nossa fé, nossa igreja, nossa família, os valores, nosso Deus e a preencher o coração com as coisas materiais e carnais.

Interessante observar também que normalmente as tentações aparecem nos momentos de fraqueza. O inimigo sabe a hora certa de agir. Ele conhece nossas fraquezas e vai nos tentar seduzir quando sentimentos necessidades, medo; quando estamos fragilizados.

Vemos que Jesus é tentado, pelo menos neste trecho do Evangelho, em três situações. Vamos ver os contextos, as maquinações do diabo e a resposta de Jesus, nos ensinando como superá-las.

1ª FOME: O diabo disse: 'Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se mude em pão.' Jesus respondeu: 'A Escritura diz: 'Não só de pão vive o homem'; 2ª RIQUEZA E PODER: O diabo levou Jesus para o alto, mostrou-lhe por um instante todos os reinos do mundo e lhe disse: 'Eu te darei todo este poder e toda a sua glória, porque tudo isso foi entregue a mim e posso dá-lo a quem eu quiser. Portanto, se te prostrares diante de mim em adoração, tudo isso será teu.' Jesus respondeu: 'A Escritura diz: 'Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás'; 3ª PROVAR DEUS: ‘O diabo levou Jesus a Jerusalém, colocou-o sobre a parte mais alta do Templo, e lhe disse: 'Se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo! Porque a Escritura diz: Deus ordenará aos seus anjos a teu respeito, que te guardem com cuidado!' E mais ainda: 'Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra'.' Jesus, porém, respondeu: 'A Escritura diz: 'Não tentarás o Senhor teu Deus'”.

Estimados irmãos. Lembremos que o diabo também conhece a Escritura e pode tentar nos enganar usando a Palavra de Deus. Por isso a necessidade de conhecermos a Palavra para não sermos enganados. Ele é muito esperto, mas Deus é mais sábio.

Vejam por exemplo como hoje o diabinho se apresenta sutilmente e vai nos seduzindo. O capitalismo desperta constantemente em nós necessidades e desejos que muitas vezes nós nem sabíamos que tínhamos. Eles despertam e nos conversem de que algo, criado por eles, é bom e necessário.

Facilmente somos ludibriados pelos bens materiais, pelos desejos da carne e pensamos que é normal. Ainda usamos a frase: Deus entende! Despertam em nós o desejo da riqueza, da luxúria e as manchetes de jornais, revistas, sites diariamente publicam coisas mostrando que os ricos são felizes porque tem dinheiro. Será mesmo? Jesus ensina que mais feliz é quem faz a vontade do Pai e não o que busca se enriquecer apenas para acumular e para desprezar os outros. Vivemos um momento em que ter está ligado ao ser. Não têm! Não é! Para o mercado capitalista e ganancioso, existe só quem pode consumir, outros são nada e deveriam ser banidos. Cuidado! Trabalhar sim, mas não ser escravo do trabalho só para aparecer melhor que os outros.

Outro aspecto que Jesus já alertou é querer manipular Deus para que Ele realize todos os nossos desejos e vontades. Muitos hoje ensinam que Deus tem que me dar carro, dinheiro, casa, emprego. Fazem dele um grande empresário que tem que dar o que quero. Errado! Fico até mal só em pensar nisso. É certo que Deus nos abençoa e nos dá forças para trabalhar e conquistar as coisas. Mas usar o nome dele para dizer que a fartura material é sinônimo de bênçãos e a pobreza maldição, está totalmente errado. Pobreza e riqueza são questões dos homens que distribuem mal as coisas. Deus quer que a vida seja promovida para todos em harmonia com toda a criação e não apenas para alguns, afinal ele é Pai de todos e como bom Pai, quer o bem e a felicidades de todos os seus filhos. Do contrário, que Deus seria? Na imagem de um Deus manipulado e manipulável isso é possível.

Com tudo isso queremos convidar você meu irmão e minha irmã a buscar o que é essencial na nossa vida. Ou seja, a harmonia com o criador e as criaturas. Tudo o que desfaz esta harmonia causa destruição e não está de acordo com a vontade de Deus.

Diante das tentações que no deserto da tua vida possam aparecer, seja forte e lute com o Senhor. Não queira lutar sozinho, porque você poderá perder ou ser enganado pelo inimigo. Por isso, nas fraquezas, na doença, na tristeza, busque ainda mais àquele que pode te ajudar e vencer contigo. Busque àquele que já venceu o inimigo e saiu vitorioso: NOSSO SENHOR JESUS!

Boa caminhada e perseverança. Não se deixe enganar pelas coisas fáceis e aparentemente belas. Elas nem sempre são o caminho que leva ao Senhor.

Deus te abençoe e ilumine.

Pe. Hermes José Novakoski, PSDP.