9 de abril de 2016

É PRECISO OBEDECER A DEUS, ANTES QUE AOS HOMENS

Com estas belíssimas palavras dos Apóstolos, iniciamos a reflexão deste 3º Domingo da Páscoa. O Senhor continua aparecendo aos seus discípulos manifestando que Ele ressuscitou e que a missão por Ele iniciada deveria continuar.

Olhando para a Primeira Leitura (Atos dos Apóstolos 5,27b-32.40b-41) verificamos que os apóstolos, que até a pouco estavam com medo e fugindo de tudo o que tinha acontecido, agora, com a força do Espírito Santo, tornam-se grandes evangelizadores e defendem a fé cristã, que estava nascendo, com a própria vida. Eles são inspirados nas palavras que dizem. Não tem mais medo daqueles que podem matar o corpo. Eles querem que a verdade sobre Jesus Cristo, manifestando o amor e a misericórdia do Pai continue sendo anunciada.

Os sofrimentos que eles tiveram que passar não foram poucos. A adesão por Cristo teve um preço alto nas suas vidas. Mas é claro que nada se compara a alegria que brota do Evangelho. A mesma leitura termina dizendo que “os apóstolos saíram do Conselho, muito contentes, por terem sido considerados dignos de injúrias, por causa do nome de Jesus”.

Num olhar apenas humano, podemos dizer que eles eram ‘doidos’. Mas não! A alegria era porque eles estavam conseguindo testemunhar o Mestre mesmo diante das dificuldades. Eles estavam passando por aquilo que o próprio Senhor passou. Era a oportunidade deles testemunharem também com a vida o amor que tinham por Jesus.

No Evangelho vemos que o trabalho sem Deus não produz os frutos desejados. Os discípulos pescam a noite inteira, mas não pegam nada. Ao mandato do Mestre, as redes se enchem. Assim também acontece na nossa vida. Quando regamos nosso trabalho, nossa pastoral com a oração e o amor de Deus, eles se tornam mais frutuosos e menos cansativos. Ofereça tudo o que fazes ao Senhor. Ele fará com que o teu trabalho seja um meio de santificação para ti.

A Igreja continua seu trabalho de Evangelização em meio as dificuldades que se apresentam. Quantas vezes tentaram calar a voz dela nos mártires de todos os tempos, mas não conseguiram porque a Igreja é de Deus. Todo este sangue derramado foi semente de novos cristãos porque Deus não deixa que este clamor fique esquecido ou não seja ouvido.

Peçamos ao Espírito Santo que continue iluminando o conduzindo a nossa missão especialmente nos momentos mais desafiadores que sempre se apresentam. Diante deles, possamos olhar para a Cruz do nosso Redentor e implorar sua misericórdia e fortaleza para não vacilarmos. Feliz aquele que perseverar até o fim.

Vamos declarar o nosso sim e o nosso amor pelo Senhor a exemplo de Pedro. Pois Ele é o amado e o único amor da nossa vida. Tudo e todos passam. Ele permanece! A obediência à sua Palavra faz acontecerem milagres em nossa vida. Ele tudo pode fazer.

Abençoado Domingo!

Pe. Hermes José Novakoski, PSDP.