6 de maio de 2016

SEREIS MINHAS TESTEMUNHAS

Com a Solenidade da Ascensão do Senhor termina a missão de Jesus como homem no mundo. Agora Ele volta ao Pai e de lá continua intercedendo por nós e nos abençoando. O Espírito Santo, por Ele prometido, fará com que a missão iniciada por Jesus continue através dos Apóstolos e dos seus discípulos “até os confins da terra” como nos diz São Lucas nos Atos dos Apóstolos.

A Ascensão de Jesus acontece na presença dos apóstolos reunidos. Muitas das experiências mais significativas da missão de Jesus acontecem quando a comunidade dos discípulos estava reunida. A nossa experiência com o ressuscitado também acontece quando nos reunimos para celebrar, em cada santa missa, a paixão, morte e ressurreição. A missa, por natureza, é comunitária. Os filhos de Deus reunidos elevam seus louvores ao Pai, no Filho, pelo Espírito Santo.

Terminado o tempo de estar fisicamente com os seus, Jesus confia a eles, e a todos nós batizados hoje, a missão de continuar sua missão. O Evangelho (Lucas 24,46-53) deste Domingo nos diz que “no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vós sereis testemunhas de tudo isso”.

Quando a missão da Igreja termina? Quando será o fim? Ninguém sabe. Só o Pai! E a nós não importa saber. De nossa parte cabe viver bem cada dia cumprindo com a missão que o Senhor nos confiou. Quem vive bem a sua vida não tem medo do fim.

A Ascensão é também o sinal de esperança a todos os que creem em Cristo. A morte não é o fim, mas o encontro definitivo com o amor. Na carta aos Hebreus lemos: “o destino de todo homem é morrer uma só vez, e depois vem o julgamento”. Terminada nossa peregrinação sobre este mundo, vamos ao encontro definitivo com Ele. Foi para isso que Cristo veio a este mundo. Aqui caem por terra as teorias do espiritismo no qual muitos católicos infelizmente participam, negando a salvação que vem de Jesus ao ensinar que podemos salvar-nos por nossas próprias forças e méritos reencarnando quantas vezes forem necessárias. Como pode um filho de Deus reencarnar em um animal ou objeto. Não seria desmerecer a dignidade com a qual fomos criados? Jesus deixa bem claro qual deve ser a nossa busca: O REINO DE DEUS!

Com esta Solenidade iniciamos a Semana de Oração para a Unidade dos Cristãos. É desejo do Senhor que todos estejam unidos com o único pastor, Jesus Cristo. Rezemos para que não tenham mais contendas e nem desuniões entre os filhos de Deus. Que vivamos com respeito e amor, pois foi assim que o Senhor nos ensinou.

Neste dia não podemos esquecer de nossas queridas mães. Rezamos pelas que já partiram para a Casa do Pai agradecendo pelo que fizeram pelos seus filhos, família, comunidade, Igreja. Que as mães sejam amadas e respeitadas por todos.
Terminamos com o pensamento o Papa Francisco: “Na família está a mãe. Cada pessoa humana deve a vida a uma mãe e quase sempre deve a ela muito da própria existência sucessiva, da formação humana e espiritual. A mãe, porém, apesar de ser muito exaltada de um ponto de vista simbólico, é pouco escutada e pouco ajudada na vida quotidiana, pouco considerada no seu papel central na sociedade. Aliás, muitas vezes, aproveita-se da disponibilidade das mães para se sacrificarem pelos filhos, para se poupar nas despesas sociais”.

Parabéns mamães. Deus continue vos abençoando pela belíssima missão que desenvolvem. Felicidades pelo vosso dia e em todos os demais.

Abençoe Senhor este dia e a nova semana que iniciamos.

Pe. Hermes José Novakoski, PSDP.