19 de agosto de 2016

Primeiros Versos escritos em 1996

Em 1996 tentei escrever os primeiros versos que guardo até hoje. Foi o início de uma história. Hoje conto com mais de 400 textos escritos e publicados inclusive em livros de Português, Antologias, Jornais, Site Recanto das Letras e muitos outros e Aqui no meu blog. Grato pelo incentivo da Professora de Português daquela época e dos colegas. Também gratidão aos que me acompanham desde aquele tempo, pois já se passaram 20 anos. Claro que o período que comecei a escrever mais foi a partir de 2003. Abaixo partilho estes simples versos, sem compromisso e compreensão de rima.



MINHA INFÂNCIA

Foi de festa e de alegria
Foi de paz e de amor
Era tudo como eu queria
Porque eu tinha valor

As vezes eu chorava
Por ver tanta cobiça
As vezes eu rezava
Para pedir justiça

Eu morava em uma casa
Pobre e pequenina
De onde tudo enxergava
Porque era em uma esquina

Nas matas eu brincava
Com as árvores eu falava
Com as aves eu cantava
E dos animais eu cuidava

As águas das cachoeiras
Que de pedra em pedra iam batendo
Apesar de que era passageiras
Uma linda melodia iam fazendo

Bem de manhãzinha
Eu despertava e corria
Para abraçar a mamãe
Com muito amor e alegria

As tristezas eu esquecia
Para ver as belezas
Que o sol nos trazia
Do amor que é a natureza

Chegava o fim do dia
Eu ia de novo rezar
Agradecendo pela alegria
E por poder brincar

Olhava o sofrimento
De tantos irmãos
Que não tinham
Sequer um pedaço de pão

Eu ia de novo brincar
Quando o sol nascia
E ia com a família rezar
Quando o sol desaparecia

Hermes José Novakoski
Escrito em 1996



MINHA PÁTRIA

Tantas matas e florestas
Tantas flores no jardim
Tanta vida é uma festa
Sendo simples assim

Bandeira a ser hasteada
Para o meu Brasil
A paz é desejada
Para um futuro feliz

Menores entristecidos
Quem andam perdidos
Se o mundo lhe der ouvidos
Jamais serão esquecidos

Lutando neste país
Tudo se realizará
Ninguém terá necessidades
E o povo melhor viverá

Tanta terra sobrando
E tanta gente sem ter onde trabalhar
Gente morrendo maltratada
E ricos não querendo partilhar

A vida deve ser de harmonia
É preciso saber viver
Que todos tenham alegria
E paz sempre possam querer

Sou pobre e sem fantasias
Não sofro por ilusão
Mas escrevo poesias
Para o meu Brasil, de coração

O Brasil tem riquezas
Mas não sabemos aproveitar
Vivemos numa terra de belezas
Que não sabemos valorizar
Se eu morrer trabalhando
Vou morrer feliz
Porque estarei ajudando
A construir um bom país

Ó Mãe de Aparecida
Eu quero te saudar
Olha para os jovens
Ensina-os a amar.

Hermes José Novakoski
Escrito em 1996



O MUNDO QUE EU SONHO

Será de alegria
Em todo lugar
Haverá fartura
E todos vão se amar

O fome vai acabar
E os pobres vão sorrir
A vida abundante vai brotar
E todos, para protege-la, vão se unir

A terra será mais santa
Como eu sempre quis
A força será tanta
Que todos vão sentir

Drogas não haverá mais
E a juventude vai poder sonhar
O mal ficará para trás
Porque todos vão se amar

O meu povo será forte
E vai saber rezar
A vida vencerá a morte
Com muito amor e paz

Erguendo mês braços
Trarei para a partilha pão
Abrindo nosso coração
Acolhendo o nosso irmão

Crianças não morrerão de fome
Velhinhos serão lembrados
Todos seremos uma linda nação
O bem estará em todo lado
Haverá mais beleza e alegria
Porque a vida não tem fim
Seremos mais fortes
Se formos unidos, sim!

Hermes José Novakoski
  Escrito em 1996.