27 de outubro de 2016

HOJE A SALVAÇÃO ENTROU NESTA CASA

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus. Chegamos ao 31º Domingo do Tempo Comum e a Palavra de Deus deste Domingo nos traz uma mensagem toda especial para a nossa caminhada de fé que estamos fazendo.

Estamos nas últimas semanas do Ano Litúrgico e do Ano Santo da Misericórdia. Estamos tendo a oportunidade de experimentarmos mais uma vez o grande amor de Deus por cada uma das suas criaturas. Ele que tudo cuida e acompanha com carinho. Esta certeza já vemos descrita no Livro da Sabedoria (11,22-12,2), leitura sugerida para este Domingo.

Em sua bondade tudo fez e sustenta com a sua Providência. É um Deus cheio de compaixão, especialmente pelos mais pecadores. Nada do que existe passa despercebido. Deixemos sua Palavra falar:

“Amas tudo o que existe, e não desprezas nada do que fizeste; porque, se odiasses alguma coisa não a terias criado. Da mesma forma, como poderia alguma coisa existir, se não a tivesses querido? Ou como poderia ser mantida, se por ti não fosse chamada? A todos, porém, tu tratas com bondade, porque tudo é teu, Senhor, amigo da vida. [...] Corriges com carinho os que caem e os repreendes, lembrando-lhes seus pecados, para que se afastem do mal e creiam em ti, Senhor”.

Este Deus maravilhoso que tudo fez e tudo sustenta, cheio de amor e compaixão, nos veio visitar, de forma extraordinária, em seu Filho Jesus Cristo, feito homem como nós. Assim como foi estar com Zaqueu, Ele quer estar conosco. Vem ao nosso encontro pela Palavra, no Espírito Santo e pela Eucaristia.

Jesus continua em movimento, como estamos acompanhando em Lucas todos os Domingos. Hoje (Lucas 13,31-35) o Mestre está em Jericó e lá morava Zaqueu, “que era chefe dos cobradores de impostos”. Por ocupar esta função ele não era entre os mais bem vistos e amados na cidade. Isso porque muitas vezes defraudou as pessoas, assim como ele mesmo confessa a Jesus.

A notícia de que Jesus estava na cidade despertou em Zaqueu curiosidade e por isso ele quer ao menos vê-lo. Como ele era baixo, Lucas diz que “subiu numa figueira para ver Jesus”. Aqui podemos refletir um pouco. O que temos feito para ver, estar com Jesus? Temos ido ao seu encontro? Queremos conhecê-lo sempre mais buscando nos aprofundar na meditação e no estudo da Palavra?

Jesus viu aquela atitude curiosa e conhecendo o coração daquele homem, toma uma decisão: “Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa”. Ele não pensa duas vezes e nem se preocupa com o que vão dizer desse encontro. Lucas destaca que “ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria!”

Que cena bonita e cheia de interpelações para todos nós. Quantas e quantas vezes Jesus passa na nossa vida e não nos damos conta disso. Ele quer estar em nossa casa, nosso coração, mas achamos perda de tempo estar com o Mestre. Zaqueu nos ensina a acolher Jesus hoje, agora, e não de qualquer forma, mas com alegria. Ele poderia ter dito ao Senhor que voltasse mais tarde, outro dia, que estava ocupado. Mas não! Jesus não pode ficar esperando.

O encontro foi tão verdadeiro, profundo, maravilhoso que mudou para sempre a vida daquele homem. Jesus não precisou fazer nenhum sermão para ele lembrando o que tinha feito ou deixado de fazer. Jesus apenas olha com amor e vai estar sua casa. Zaqueu sentiu o amor de Jesus por ele e por isso, aí mesmo declara sua conversão e mudança de vida.

“Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor: 'Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais.'” O gesto de ficar de pé demonstra prontidão. A mudança estava acontecendo naquele momento. Ele queria mudar de vida. Não desejava continuar fazendo o que fazia. Vejamos que interessante: a conversão foi tamanha que fez ele doar o que tinha e devolver quatro vezes mais daquilo que roubou.

Percebendo que ele estava sendo sincero, “Jesus lhe disse: 'Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão. Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido.'”

Amados irmãos e irmãs. Precisamos cuidar para que a nossa conversão não seja parcial, porque estaremos enganando-nos a nós mesmos. Muitas vezes corremos o risco de mudar só o que nos convém e a medida que nos agrada. O encontro verdadeiro com Jesus faz a gente mudar totalmente. Desapegar-se do que temos e fazer justiça. Jesus não manda acumular, mas partilhar, porque aquilo que nos sobra, falta aos outros.

A exemplo de Zaqueu, acolhendo o Senhor na Eucaristia e na Palavra, deixemos que Ele nos olhe, nos provoque. Acolhamos seu apelo e deixemos Ele entrar em nosso coração tantas vezes machucado, cansado, sem esperança. São muitas as feridas a serem curadas para que a conversão aconteça. Deixemos o Senhor fazer em nosso coração o que não podemos fazer por nossas forças.

Abençoado Domingo e uma semana de paz e bênçãos!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência