13 de outubro de 2016

PRECISAMOS REZAR SEMPRE

Estimados irmãos e irmãs.

Estamos caminhando com Jesus à Jerusalém. Como já dissemos em outras reflexões, a nossa vida é um peregrinar para a Jerusalém celeste onde o Senhor nos espera com todos aqueles que já partiram desta vida. Neste caminho que estamos fazendo precisamos rezar sempre, pois sem a oração corremos um sério risco de nos desviarmos do bom caminho que o Senhor nos propõem.

A Primeira Leitura do livro do Êxodo (17,8-13) e o Evangelho de Lucas (18,1-8) ilustram para nós o que acontece quando rezamos com perseverança e insistência. Deus não é indiferente aos clamores do seu povo. No tempo certo realizará as coisas. A fé nos faz esperar e entender a dinâmica de Deus.

O livro do Êxodo traz a batalha de Rafidim. Os israelitas conseguem vencer a luta porque Moisés manter elevado o bastão para Deus. Enquanto ele reza o povo vence a batalha. Sem a oração, simbolizada aqui pelas mãos erguidas, o povo não obtém a vitória. Na nossa vida acontece a mesma dinâmica. Quando nossas mãos não se elevam mais a Deus somos derrotados.

São Lucas nos diz, logo no início do Evangelho deste Domingo, que “Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir”. A viúva, que na época de Jesus ficava totalmente desassistida, porque os bens voltavam a família do marido, não tinha mais a quem recorrer se não ao juiz que não temia a Deus.

Vejam que interessante. A oração e a insistência da viúva fazem Deus tocar e ‘amolecer’ o coração do juiz que acaba atendendo a ela. Assim acontece na nossa vida. Quando não podemos realizar as coisas por nossas forças, coloquemos tudo nas mãos de Deus e Ele fará com que elas concorram para o nosso maior bem. O problema é que na maioria das vezes nós queremos resultados imediatos e as coisas nem sempre são como pensamos e queremos.

Aí entendemos esse fenômeno de pessoas que ficam transitando de igreja em igreja na busca de soluções fáceis para a vida. Isso demonstra quanto a fé é pequena e imatura. Por isso precisamos rezar sempre para que a nossa fé não desfaleça.

Jesus conclui dizendo que se os homens podem realizar coisas boas, quanto mais o Pai que está no céu realizará. No texto quando Jesus fala de justiça, refere-se a Salvação que Deus dará aos que forem fieis a Ele.

Como manter a fé viva? Temos dois meios infalíveis: Palavra de Deus e a Eucaristia. É importante criarmos uma familiaridade com a Sagrada Escritura, pois nela encontramos exemplos de confiança, superação que podem nos ajudar na caminhada.

Este é o apelo que São Paulo faz a Timóteo (3,14-4,2) e a cada um de nós: “permanece firme naquilo que aprendeste e aceitaste como verdade. [...] Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para argumentar, para corrigir e para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e qualificado para toda boa obra”. O Apóstolo tem razão. Sem a Palavra a nossa vida fica sem critério e sem um rumo claro. Ela é a luz da nossa vida.

Na Eucaristia encontramos a plenitude de todas as graças e bênçãos. Feliz quem participa dignamente e consciente da Santa Missa e busca mergulhar na riqueza deste Sacramento. É o próprio Jesus que se faz alimento para sustentar a nossa fé. Não deixemos de ir a santa missa com a desculpa que não temos tempo. Pois isso seria rebaixar o sagrado ao segundo plano da nossa vida. Ela deve estar sempre em primeiro pois é algo importantíssimo.

Abençoado Domingo e abençoada semana.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência