24 de novembro de 2016

JÁ É HORA DE DESPERTAR


Estimados irmãos e irmãs. Iniciamos com a liturgia deste primeiro Domingo do Advento o ano litúrgico 2017. A nossa caminhada é retomada e seremos orientados pelo Evangelista São Mateus. Vamos nos dispondo com alegria e esperança desejando que seja um ano de muitas bênçãos e graças. O Senhor nos dá uma nova oportunidade para fazermos os passos necessários e as mudanças pertinentes em nossa caminhada de fé. Todos precisamos avançar sempre. A vida é dinâmica e exige transformações constantes. Que estas nos ajudem a sermos pessoas melhores a cada dia.

Retomando e relembrando que o Advento, para nós cristãos Católicos, é tempo de esperança, expectativa, vigilância, atenção. Tempo oportuno para saber se estamos atentos aos acontecimentos que nos cercam e se conseguimos ver as manifestações do Senhor em tudo o que acontece.

Interessante observarmos como o comércio se antecipa e vai alertando que o Natal está próximo. Vitrines cheias de anúncios e produtos que prometem fazer do seu Natal um dia inesquecível e feliz. Você compra, gasta, dá presentes e isso basta. A felicidade se resume em compras e vendas. O balanço que se faz é sempre a partir dos ganhos das empresas e nunca da realização das pessoas. É claro que a grande maioria gosta e fica feliz com um presente, ainda mais se for de um valor bem alto.

Porém, amados irmãos e irmãs, nós não podemos esquecer que o maior e o melhor presente Deus nos deu: Jesus Cristo, nosso Salvador. Tudo o que o comércio nos oferece é material, passageiro, efêmero. Eles tentam nos mostrar que se nós comprarmos determinados produtos das marcas anunciadas teremos o melhor Natal da nossa vida. Querem que todos acreditem que nos produtos de consumo está a tão sonhada felicidade.

Diante disso, nós temos o dever de mostrar ao mundo, de relembrar as pessoas, que a verdadeira felicidade não está em ter, ganhar ou comprar coisas. É feliz quem tem Deus no coração e com ele tem sentimentos de paz, serenidade, caridade, fraternidade. Que o Natal é partilha e não só acúmulo. Que a vinda de Cristo deve estar no centro de tudo e não o consumismo exagerado. Não é proibido dar e nem receber presentes. Mas estas coisas não devem ser o principal. Talvez, o melhor presente que possamos dar é a oração, um abraço, escutar nossos familiares, aconselhar quem precisa, visitar um doente, alcançar algo aos que tem menos do que nós. São gestos bonitos e que fazem a gente resgatar o verdadeiro sentido do Natal.

Isso está em sintonia com a Palavra de Deus deste Domingo. No Evangelho (Mateus 24,37-44) Jesus recorda o que estava acontecendo com as pessoas no tempo de Noé. Parece que não é muito diferente e distante do que vemos hoje: “todos comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento”. Hoje para muitos o Natal e a vida se resume em trabalhar, comer, beber, fazer orgias. Consideram isso como viver, ou, como dizer “aproveitar a vida”! Na questão do casamento também se repete a mesma coisa. Muitos vão morar juntos e dizem que estão casados. Isso é uma total falta de respeito ao Sacramento do Matrimônio.

Noé foi salvo porque era temente a Deus e estava atento aos sinais dos tempos, a presença de Deus na sua vida e nos acontecimentos. Ele que buscava a Deus entendia que a vida não se reduzia a estas coisas ligadas aos prazeres e as necessidades humanas a afetivas.

Jesus continua vindo em cada Natal, em cada irmão, na Palavra e na Eucaristia. Porém, quem está preocupado só com as coisas materiais ou carnais não consegue vê-lo. E por não acolher Jesus, sua vida não é transformada.

Jesus alerta: “Ficai atentos! porque não sabeis em que dia virá o Senhor.... Ficai preparados!” Eis que precisamos vigiar sempre. O Senhor nos alerta para não sermos surpreendidos. Aos que vivem envoltos nas trevas, as palavras de São Paulo (Romanos 13,11-14a) provocam: “Já é hora de despertar... O dia vem chegando: despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da luz”. E a todos nós ele faz este grande apelo: “Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo!”

A nós que estamos atentos, acolhamos o convite do salmista: VAMOS À CASA DO SENHOR pois lá Ele nos espera. Mas não podemos ir de qualquer jeito. A este convite precisamos ir com disposição e alegria pois teremos o encontro com o nosso Deus que vai falar e se dará como alimento na Eucaristia.

Assim iniciamos o nosso caminho de preparação para o Natal e o novo ano litúrgico com disposição, alegria e muito atentos ao que o Senhor vai falar neste tempo. Sua presença é constante em nossa vida e Ele quer nos abençoar e proteger sempre. Vamos acolher o que Ele tem para nós que sempre é a melhor parte para que este Natal seja de muita paz e um tempo de renovação espiritual.

Boa caminhada. Estaremos juntos rezando uns pelos outros e partilhando as inspirações que a Palavra nos provoca. Aqui colocamos alguns pontos. Abra sempre seu coração e deixe a Palavra de Deus te surpreender.

Abençoado Domingo! Uma semana de bênçãos e um tempo de Advento de muita oração!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência