18 de novembro de 2016

JESUS CRISTO É REI DO UNIVERSO

Estimados irmãos e irmãs. Com a grande solenidade deste Domingo, fechamos o ano litúrgico. É um momento de avaliar como foi a caminhada até aqui. Ao longo deste ano caminhamos seguindo os passos do Mestre iluminados pelo evangelista São Lucas que foi nos guiando com sua sabedoria e recordando os ensinamentos que o Mestre nos deixou.

Ao recordar os gestos de Jesus lá nos Atos dos Apóstolos, Lucas diz que Ele passou pelo mundo fazendo o bem (cf At 10,38). No decurso deste ano que estamos fechando, rezamos, meditamos e aprendemos com o Mestre. Ele fez bem todas as coisas. A todos amou sem distinção porque veio para salvar a todos.

Na cena do Evangelho deste dia, um tanto enigmática, vemos o Rei na cruz. Costumeiramente vemos os reis em tronos de ouro, cercados de súditos que o servem, sendo assistido por muitos e um exército que o protege. Jesus é um rei diferente, um rei misericordioso.

O Mestre quebra com todos estes paradigmas e mostra que o Reinado de Deus não é de servos e senhores, mas de irmãos. O Reinado de Deus não faz distinção ou acepção de pessoas. Todos estão à mesma mesa. Ele mesmo se faz humilde e pequeno para nos mostrar que o caminho da felicidade é o caminho da simplicidade.

Estando na cruz Jesus foi provocado pelos soldados: “Se és rei..., salva-te a ti mesmo!” (Lc 23,37). Jesus poderia ter saído da cruz sozinho? Poderia! Mas Ele não quis fazer espetáculo e nem gerar escravos. Imaginem se Jesus, naquele momento, saísse da cruz. Muitos iam aplaudir e ele seria um Deus mágico que foge do sofrimento. Alimentaria ainda mais a fantasia dos que estavam esperando um rei mágico que resolvesse todos os problemas do povo sem comprometimento.

O que eles não entendiam é que o corpo de Jesus estava crucificado, mas o coração e o espírito estavam livres. É por isso que Jesus, mesmo sofrendo tanto, ainda consegue perdoar seus algozes. Ele em vez de condená-los, os perdoa. Eles é que continuavam escravos dos seus pecados e do sistema que oprimia. Jesus era mais uma vítima, mas não se deixou atingir pelo ódio com que o tratavam e nem mudou seu jeito de ser diante da morte sofrida. Perdoa o que estava crucificado ao seu lado e garante que estarão ainda hoje no paraíso. Este é o nosso Deus! Misericordioso sempre para aqueles que o buscam com confiança!

Toda a vida de Jesus foi uma doação contínua. Ele sempre esteve do lado dos pequenos, marginalizados, prostitutas, cobradores de impostos. Ele não negou perdão a ninguém. Estendeu a mão para todos os que a Ele recorriam mostrando que Deus quer que todos sejam salvos.

Voltando a imagem do rei que a Palavra de Deus coloca nesta Liturgia, vamos olhar a Leitura de Samuel (5,1-3). As tribos de Israel querem que Davi seja rei do povo de Deus. Mas um rei que serve e não que domina: “Tu apascentarás o meu povo!” Então, ser rei, é apascentar, guiar, cuidar, zelar. O Senhor deixa claro, afirmando que o povo é seu e não de Davi. Sendo assim, o rei não é dono nem senhor do povo, mas um instrumento de Deus que para o conduzir.

Neste Domingo também lembramos a missão de todos os fiéis batizados que tem o dever de serem Evangelho vivos nos mais diversos ambientes da sociedade. Nós temos nas mãos o instrumento de transformação da vida das pessoas: o Evangelho. Vivendo-o onde estamos, vamos sendo luz para que outros também sejam iluminados. Olhando para o Mestre, imitemos seus passos, gestos, atitudes. Deixemos que a sua Palavra nos transforme e nos renove. Purifique nossos pensamentos, sentimentos, palavras e ações.

Demos graças a Deus por mais um ano vencido. Por todos os ensinamentos que Ele nos deixou através da sua Palavra. Pela Eucaristia que nos fortalece em nossa fé. Enfim, por tantas graças e bênçãos que recebemos ao longo deste ano.

Hoje a Igreja encerra oficialmente o Ano Santo da Misericórdia. Papa Francisco fechará a porta santa num gesto simbólico, mas a graça e a misericórdia de Deus continuarão sempre de portas abertas para todos nós. Quanta alegria podermos ser amados e perdoados pelo Senhor.

Desejamos que os ensinamentos deste ano nos ajudem a vivermos a misericórdia com todos os nossos irmãos e irmãs. A exemplo de Jesus, que saibamos perdoar sempre.

Agradeço a todos que acompanham estas reflexões e desejo que as bênçãos de Deus continuem vos acompanhando sempre. Sejamos Evangelhos Vivos. Viva Cristo Rei do Universo! Rei de amor!

Abençoado Domingo e abençoada semana!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência