24 de dezembro de 2016

Feliz Natal!


Chegou este grande dia de alegria
Anunciamos o proclamamos um grande acontecimento
Jesus nasceu de Maria, foi por José acolhido
Mudando a história a partir daquele momento.

Os anjos cantam glórias nos céus e paz na terra
Aos que acolhem o Salvador
É Jesus, Deus presente em nosso meio
Está entre nós a vida, o amor.

As famílias se reúnem para celebrar
Vamos dar as mãos e orar
Para que em todos os lares
O perdão, a paz, o amor nunca venham a faltar.

Vamos assumir o projeto de Jesus
Construindo um mundo melhor
Promovendo a justiça e a fraternidade
Reina entre nós o Senhor!

Feliz Natal!
Pe. Hermes José Novakoski, PSDP.

22 de dezembro de 2016

EU VOS ANUNCIO UMA GRANDE ALEGRIA

Queridos irmãos e irmãs. Chegamos ao grande dia: Natal! Hoje fazemos memória de um grande acontecimento da história da Salvação aguardado, desejado, anunciado por séculos. Deus se fez um de nós no meio de nós. Isso é motivo para muita alegria e celebração.

As palavras do anjo nos servem de estímulo e nos colocam nesta sintonia da solenidade de hoje: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que o será para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um Salvador, que é Cristo Senhor!” (Lucas 2,11). Não é o nascimento de mais uma pessoa, mas o nascimento do Filho de Deus, enviado para nossa Salvação.

Jesus não nasceu em um palácio rodeado de servos e escravos. Ele nasceu simples entre os pequeninos. Os primeiros a receberem a notícia do seu nascimento, deste grandiosíssimo acontecimento, não foram os reis em seus palácios, mas os pastores. Aqueles que exerciam uma função simples de cuidar. Cristo é o bom Pastor que cuidará das ovelhas e as levará ao eterno prado. Ele se identidica com os pastores. Eles recebem a Boa Nova e a comunicam aos demais.

A leiturura do Profeta Isaías (9,1-6) também nos faz o convite a acolhermos e contemplarmos uma grande luz. Não é uma luz qualquer. Não será uma luz que poderá ser apagada. Ele é a LUZ, a sua fonte. “O povo, que andava na escuridão, viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu”!

Deixemos que esta luz que é Jesus Cristo, ilumine nossos pensamentos, sentimentos, atitudes para sermos mais fraternos e irmãos. Que esta luz possa penetrar no mais profundo das trevas do nosso pecado e nos renovar interiormente. Que ela aqueça os corações frios e dê ânimo aos que andam tristes e abatidos. Deixemo-nos contagiar pela alegria do Natal. Uma alegria verdadeira que vem do alto e não uma alegria passageira oferecida pelas coisas materiais.

O Evangelho da missa do dia do Natal (João 1,1-18) também fala da luz que João Batista veio dar testemunho, da luz verdadeira. Assim como João apontou para esta LUZ, a nossa vida também deve levar as pessoas a contemplarem-na. O mundo, as famílias, os corações só poderão ser transformados verdadeiramente quando foram tocados por esta luz divina. As situações de morte serão superadas quando Cristo se tornar o horizonte da vida de todos os seus filhos e filhas.

Deus enviou a luz com o desejo de que todos nós fôssemos por ela iluminados e nos deixássemos guiar por ela. Quem foge da luz pratica obras más. A ausência de luz é sinal de morte, tristeza. Onde brilha a luz que é Cristo, não há temor, tristeza, dor.

Deus falou de muitos modos ao longo dos séculos. Neste tempo Ele nos fala através do seu Filho, nos lembra o autor da carta aos Hebreus (1,1-6). Não fala mais através de profetas, mas o seu Filho, Palavra do Pai, vem pessoalmente nos falar, nos ensinar como devem viver os filhos de Deus.

Desejo a todos vocês que este Natal seja de muita paz, alegria, bênção. Vamos acolher em nosso coração o próprio Jesus Cristo para que Ele transforme verdadeiramente a nossa vida, as nossas famílias, todas as nossas limitações e dificuldades. Jesus é nossa Luz! Jesus é nosso Salvador! Ele é a Palavra do Pai! Ele é o nosso Deus. Feliz Natal!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.

15 de dezembro de 2016

ESTÁ CHEGANDO O EMANUEL: DEUS ESTÁ CONOSCO!

Estimados irmãos e irmãs. A alegria do Natal já enche os nossos corações. Lembro que na infância, e muitos também recordarão isso, era grande a expectativa com a vinda do Natal. Muitas coisas bonitas marcavam estas festas: preparação da casa, família reunida, confissões, missa no galo, partilha de presentes. Enfim, existia um ‘clima’ diferente porque algo de muito importante estava para acontecer, ou fazer memória do acontecimento.

Hoje, muitos perderam este encantamento pelo Natal. Ele se tornou como um dia qualquer. As festas acontecem com um cunho humano meramente humano. Esquece-se do aniversariante. Ele sequer é mencionado. O Natal tem se tornado cada vez mais uma festa nossa regada de muita comida e bebida e pouca oração. O mercado aproveita e faz muitas propagandas de coisas a serem compradas como se este acontecimento se resumisse no consumismo.

Precisamos ter cuidado, vigiar, estar atentos assim como a Palavra de Deus tanto nos convidou ao longo deste tempo do Advento que estamos avançando. Cristo vem, ou melhor, Ele está conosco como nos diz a Palavra deste 4º Domingo do Advento (Evangelho Mateus 1,18-24).

Maria acolheu a proposta do Pai e concebeu pela força e poder do Espírito Santo. Porque acolheu o projeto de Deus, ela torna-se bem-aventurada. Ela é a cheia da graça de Deus. Carrega em seu ventre o Salvador da humanidade. Carrega em seu coração todos os que a ela recorrem.

José, como nos diz a Palavra, era justo. Por ser um homem reto, Deus o convidou e ser pai adotivo de Jesus. O anjo diz que ele não precisava ter medo, mas fé. Mesmo não entendendo tudo o que se passava com ele e com Maria, deveria aceitar o projeto que Deus tinha a seu respeito.

Estamos no capítulo primeiro do evangelista Mateus. Ela narra a genealogia de Jesus e dentro desta história, merecem destaque as três pessoas que hoje aparecem: Jesus Cristo, Filho de Deus; Maria de Nazaré, esposa de José, mãe de Jesus por ação do Espírito Santo; José, da casa de Davi, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus.

Eles se tornam personagens importantes para a história pela abertura a Deus e pela disponibilidade. O Pai realiza assim o plano de Salvação. É a plenitude da Revelação. Tudo isso só foi possível porque encontrou pessoas dispostas e levar este plano até o fim.

Para todos nós eles continuam sendo sinais da presença e do amor de Deus. O maior de todos os sinais, já anunciado por Isaías (7,10-14), seria o Messias. Séculos antes de Jesus, o profeta já anunciava: “Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Emanuel”.

Esta é a última semana de preparação ao Natal. Preparemo-nos bem para acolher o Salvador assim como Maria e José o acolheram. Quem o acolhe sente sua presença permanente na vida, pois Ele é o DEUS QUE ESTÁ CONOSCO.

Abençoado Domingo e uma semana de paz!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.

8 de dezembro de 2016

ALEGRE-SE! O SENHOR ESTÁ PERTO

Estimados irmãos e irmãs. Continuamos nossa caminhada rumo ao Natal do Senhor. Uma grande solenidade. Um marco na história. Em Cristo se renovam todas as coisas. Nele tudo tem um novo significado. Os rumos da humanidade foram mudados. O amor passou a habitar entre nós.

Sua vinda foi desejada e preparada há séculos pelos profetas. Deus nos surpreende sempre, por isso sua vinda não foi de acordo com as expectativas humanas. Deus tem seu jeito de chegar, de permanecer no meio de Deus. Assim como no tempo antes de Jesus e quando Ele já estava no meio do povo, também hoje precisamos estar atentos aos sinais que manifestam a sua presença.

Valem para nós as palavras do Profeta Isaías da 1ª Leitura deste Domingo (35,1-6a.10): “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus!” No tempo em que estamos vivendo, parece que as forças no desânimo estão tomando conta. É dever de todos os cristãos erguer a cabeça e seguir em frente. Nosso Deus está no meio de nós e por isso não podemos desanimar. Ele caminha conosco e continua manifestando seus sinais e isso não podemos parar no meio do caminho.

As vezes parece que as forças no mal vão vencer. Mas não! O bem sempre vence o mal. O sol acaba com as trevas. Deus tem mais poder do que qualquer outra força. Para nós que cremos, não podemos deixar que nos roubem a fé e a esperança. O inimigo tenta nos desanimar e mostrar que não vale a pena lutar. Não deixemos nos envolver pelas trevas. Cristo é nossa luz!

Em meio a tudo isso, onde está Deus? Ele está no meio do povo sofrendo com os que sofrem; lutando com os que lutam. À esta pergunta que os discípulos de João (Cf Evangelho deste Domingo: Mateus 11,2-11) fizeram a Jesus, Ele responde: “Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados.”

Estes sinais continuam vivos ainda hoje. Caso alguém pergunte para nós se Deus está no nosso meio devemos responder: Ele está na Eucaristia; na Palavra; nos gestos de Caridade. São muitas as formas que Ele se manifesta, porém o desânimo não deixa a gente ver a presença de Deus. Geralmente nos apegamos ao pessimismo dos acontecimentos e assim caímos na tentação de pensar que não tem mais jeito e que Deus nos abandonou.

Assim como João anunciou a vinda de Jesus e preparou os corações das pessoas para acolhê-lo, também nós temos o dever de preparar o nosso coração e o de nossos irmãos para que estes acolham o Senhor e sua vida seja transformada.

Neste Domingo da alegria, deixemos nos contagiar pelas coisas boas que existem para que elas ganhem mais força e se propaguem em nosso meio. Quem tem Jesus em seu coração não pode viver murmurando e se lamentando. Ele é a fonte da verdadeira alegria que ninguém pode nos tirar e que não encontramos em nenhum outro lugar.

Abençoado Domingo e uma semana de bênçãos e graças.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência!

2 de dezembro de 2016

CONVERTEI-VOS, PORQUE O REINO DOS CÉUS ESTÁ PRÓXIMO

Estimados irmãos e irmãs. Neste 2º Domingo do Advento, a Palavra de Deus nos traz um personagem importante na história da Salvação: João Batista. Um profeta que denuncia e anuncia. Pagou com a própria vida o que defendia. Ele nos apresenta o Redentor.

Como dissemos no Domingo passado, neste Tempo bonito do Advento, temos algumas palavras chaves que nos acompanham. Elas servirão para nos ajudar a darmos os passos rumo ao Natal do Senhor. No 1º Domingo fomos convidados a DESPERTARMOS. Não podemos ficar cochilando na caminhada da fé. Despertar é uma atitude de quem está atento, alerta aos sinais que se manifestam. Ao tocar o despertador, por exemplo, ou uma sirene, ficamos atentos ao que vai acontecer ou que chegou a hora de um compromisso. O despertador que nunca para de tocar é a Palavra de Deus nos chamando ao nosso dever de cristãos, de filhos amados de Deus.

Neste Domingo (Evangelho Mateus 3,1-12), continuando a nossa caminhada ao presépio, recebemos a Palavra CONVERSÃO saída da boca do profeta João Batista. Ele que estava preparando o caminho para o Senhor chegar, como nos diz Isaías, convidava os ouvintes a se converterem, ou seja, a abandonarem todas as práticas que não estavam de acordo com os princípios do Reino de Deus.

A concretização do Reino dos Céus pressupõe a conversão das pessoas. Aqui não vamos compreender o Reino como um lugar, mas como gestos e atitudes que promovem a vida. Quando a vida é desrespeitada, o Reino não está acontecendo. Só um sério e profundo processo de conversão, fará com que todas as situações de morte em que estamos imersos, sejam transformadas. Enquanto não houver conversão, as coisas, o dinheiro, o poder, a prepotência estarão à frente da vida. Isso demonstra claramente que os valores do Evangelho não tem mais espaço na cultura e no cotidiano das pessoas.

Hoje vivemos momentos trágicos de desrespeito a vida. É a questão do aborto, violência, falta de acesso a saúde, educação, moradia, guerras, terrorismo. Infelizmente tem pessoas se beneficiando da desgraça dos outros. São sinais que o Evangelho não é conhecido. São estes caminhos tortuosos, doloridos que precisam ser endireitados, assim como nos alerta João no Evangelho deste Domingo.

Vejamos quão atuais são estas palavras: “Raça de cobras venenosas”! A serpente é símbolo da traição; ele instigou Eva ao erro. Estas cobras, serpentes estão soltas ainda hoje e continuam levando muitos a perdição. Ensinam coisas erradas, praticam coisas monstruosas. A vida, dom precioso de Deus, está ficando em segundo plano. Isso fere o coração do Pai que quer vida em abundância para todos.

Diante de tudo isso, continuemos clamando que o Senhor venha com o seu Reino. Mas a sua vinda se concretiza em todas as ações de bem e promoção da vida que são realizadas. É compromisso de todos os cristãos viverem os valores do Reino. Todos os batizados tem a obrigação de colocar em prática o que Jesus ensinou. A corrupção do coração está causando muitos estragos na vida das pessoas e na sociedade. Muitos batizados esqueceram dos compromissos assumidos diante de Deus e da comunidade. Estes corações tortuosos precisam ser tocados de novo pela força do Evangelho.

Vamos rezar mais. O mundo está caminhando para caos, a nossa sociedade brasileira está perdendo o rumo por falta de Deus, falta de oração. Corrupção, roubos, injustiças são sinais da ausência do Evangelho. Quem aceita se corromper não tem Deus em seu coração, porque Deus é justiça!

Abençoado Domingo!

Uma semana de paz e bênçãos para todos.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência