2 de dezembro de 2016

CONVERTEI-VOS, PORQUE O REINO DOS CÉUS ESTÁ PRÓXIMO

Estimados irmãos e irmãs. Neste 2º Domingo do Advento, a Palavra de Deus nos traz um personagem importante na história da Salvação: João Batista. Um profeta que denuncia e anuncia. Pagou com a própria vida o que defendia. Ele nos apresenta o Redentor.

Como dissemos no Domingo passado, neste Tempo bonito do Advento, temos algumas palavras chaves que nos acompanham. Elas servirão para nos ajudar a darmos os passos rumo ao Natal do Senhor. No 1º Domingo fomos convidados a DESPERTARMOS. Não podemos ficar cochilando na caminhada da fé. Despertar é uma atitude de quem está atento, alerta aos sinais que se manifestam. Ao tocar o despertador, por exemplo, ou uma sirene, ficamos atentos ao que vai acontecer ou que chegou a hora de um compromisso. O despertador que nunca para de tocar é a Palavra de Deus nos chamando ao nosso dever de cristãos, de filhos amados de Deus.

Neste Domingo (Evangelho Mateus 3,1-12), continuando a nossa caminhada ao presépio, recebemos a Palavra CONVERSÃO saída da boca do profeta João Batista. Ele que estava preparando o caminho para o Senhor chegar, como nos diz Isaías, convidava os ouvintes a se converterem, ou seja, a abandonarem todas as práticas que não estavam de acordo com os princípios do Reino de Deus.

A concretização do Reino dos Céus pressupõe a conversão das pessoas. Aqui não vamos compreender o Reino como um lugar, mas como gestos e atitudes que promovem a vida. Quando a vida é desrespeitada, o Reino não está acontecendo. Só um sério e profundo processo de conversão, fará com que todas as situações de morte em que estamos imersos, sejam transformadas. Enquanto não houver conversão, as coisas, o dinheiro, o poder, a prepotência estarão à frente da vida. Isso demonstra claramente que os valores do Evangelho não tem mais espaço na cultura e no cotidiano das pessoas.

Hoje vivemos momentos trágicos de desrespeito a vida. É a questão do aborto, violência, falta de acesso a saúde, educação, moradia, guerras, terrorismo. Infelizmente tem pessoas se beneficiando da desgraça dos outros. São sinais que o Evangelho não é conhecido. São estes caminhos tortuosos, doloridos que precisam ser endireitados, assim como nos alerta João no Evangelho deste Domingo.

Vejamos quão atuais são estas palavras: “Raça de cobras venenosas”! A serpente é símbolo da traição; ele instigou Eva ao erro. Estas cobras, serpentes estão soltas ainda hoje e continuam levando muitos a perdição. Ensinam coisas erradas, praticam coisas monstruosas. A vida, dom precioso de Deus, está ficando em segundo plano. Isso fere o coração do Pai que quer vida em abundância para todos.

Diante de tudo isso, continuemos clamando que o Senhor venha com o seu Reino. Mas a sua vinda se concretiza em todas as ações de bem e promoção da vida que são realizadas. É compromisso de todos os cristãos viverem os valores do Reino. Todos os batizados tem a obrigação de colocar em prática o que Jesus ensinou. A corrupção do coração está causando muitos estragos na vida das pessoas e na sociedade. Muitos batizados esqueceram dos compromissos assumidos diante de Deus e da comunidade. Estes corações tortuosos precisam ser tocados de novo pela força do Evangelho.

Vamos rezar mais. O mundo está caminhando para caos, a nossa sociedade brasileira está perdendo o rumo por falta de Deus, falta de oração. Corrupção, roubos, injustiças são sinais da ausência do Evangelho. Quem aceita se corromper não tem Deus em seu coração, porque Deus é justiça!

Abençoado Domingo!

Uma semana de paz e bênçãos para todos.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência