15 de dezembro de 2016

ESTÁ CHEGANDO O EMANUEL: DEUS ESTÁ CONOSCO!

Estimados irmãos e irmãs. A alegria do Natal já enche os nossos corações. Lembro que na infância, e muitos também recordarão isso, era grande a expectativa com a vinda do Natal. Muitas coisas bonitas marcavam estas festas: preparação da casa, família reunida, confissões, missa no galo, partilha de presentes. Enfim, existia um ‘clima’ diferente porque algo de muito importante estava para acontecer, ou fazer memória do acontecimento.

Hoje, muitos perderam este encantamento pelo Natal. Ele se tornou como um dia qualquer. As festas acontecem com um cunho humano meramente humano. Esquece-se do aniversariante. Ele sequer é mencionado. O Natal tem se tornado cada vez mais uma festa nossa regada de muita comida e bebida e pouca oração. O mercado aproveita e faz muitas propagandas de coisas a serem compradas como se este acontecimento se resumisse no consumismo.

Precisamos ter cuidado, vigiar, estar atentos assim como a Palavra de Deus tanto nos convidou ao longo deste tempo do Advento que estamos avançando. Cristo vem, ou melhor, Ele está conosco como nos diz a Palavra deste 4º Domingo do Advento (Evangelho Mateus 1,18-24).

Maria acolheu a proposta do Pai e concebeu pela força e poder do Espírito Santo. Porque acolheu o projeto de Deus, ela torna-se bem-aventurada. Ela é a cheia da graça de Deus. Carrega em seu ventre o Salvador da humanidade. Carrega em seu coração todos os que a ela recorrem.

José, como nos diz a Palavra, era justo. Por ser um homem reto, Deus o convidou e ser pai adotivo de Jesus. O anjo diz que ele não precisava ter medo, mas fé. Mesmo não entendendo tudo o que se passava com ele e com Maria, deveria aceitar o projeto que Deus tinha a seu respeito.

Estamos no capítulo primeiro do evangelista Mateus. Ela narra a genealogia de Jesus e dentro desta história, merecem destaque as três pessoas que hoje aparecem: Jesus Cristo, Filho de Deus; Maria de Nazaré, esposa de José, mãe de Jesus por ação do Espírito Santo; José, da casa de Davi, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus.

Eles se tornam personagens importantes para a história pela abertura a Deus e pela disponibilidade. O Pai realiza assim o plano de Salvação. É a plenitude da Revelação. Tudo isso só foi possível porque encontrou pessoas dispostas e levar este plano até o fim.

Para todos nós eles continuam sendo sinais da presença e do amor de Deus. O maior de todos os sinais, já anunciado por Isaías (7,10-14), seria o Messias. Séculos antes de Jesus, o profeta já anunciava: “Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Emanuel”.

Esta é a última semana de preparação ao Natal. Preparemo-nos bem para acolher o Salvador assim como Maria e José o acolheram. Quem o acolhe sente sua presença permanente na vida, pois Ele é o DEUS QUE ESTÁ CONOSCO.

Abençoado Domingo e uma semana de paz!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.