23 de fevereiro de 2017

A QUEM NÓS SERVIMOS?

Diz um ditado: "Diga-me com quem andas, que direi quem és!"

Parafraseando poderíamos dizer: "Diga-me a quem serves, que direi quem és!"

Estimados irmãos e irmãs. Grande a nossa alegria podermos nos encontrar todos os Domingos na casa do Senhor. Ele sempre nos espera como um pai que tem saudades dos seus filhos quando não os vê. Sim! Noss Deus é um grande Pai sempre atencioso e cuidadoso e que sente saudades dos seus filhos quando estão longe deles.

Neste oitavo Domingo do Tempo Comum o profeta Isaías (49, 14-15) nos faz refletir sobre esse amor de Deus por nós. Geralmente a mãe faz de tudo para proteger seu filho. Mas se acontecer de ela não cuidar, Deus cuida de seus filhos. "Eu não me esquecerei de ti", diz o Senhor pela boca do profeta aos seus eleitos.

Muitos de nós já fizemos em algum momento da vida a experiência do abandono. Talvez não tenhamos lembranças, mas é algo que nos deixa inseguros, com medo. Mesmo que nossos cuidadores nos abandonem, Deus nunca nos abandonará, pois Ele nos criou e cuida sempre de toda a sua criação. Essa imagem vemos refletida também no Evangelho (Mt 6, 24-34) quando Jesus diz que se Deus pensa nas aves do céu e nas flores do campo, pensará ainda mais em seus filho e filhas criados a sua imagem e semelhança.

Nestes momentos precisamos rezar com o salmista (Salmo 61): "Só em Deus a minha alma tem repouso, só ele é meu rochedo e salvação". O Senhor é "a fortaleza, onde encontramos segurança", continua a oração do Salmo.

A experiência do abandono de Deus acontece não porque Ele nos abandona, mas porque nós queremos andar sozinhos. Pensamos que não precisamos de Deus em nossa vida e que Ele foi invenção da mente humana. Infeliz de quem pensa assim. Precisa mergulhar na busca da verdade.

Quando abandonamos Deus, vamos nos apegando em outras coisas que possam nos dar segurança, ou a sensação de segurança. Existem muitos meios que nos dão a segurança externa, mas a segurança maior que precisamos é a de estar no caminho de Deus para salvar a nossa alma. Não podemos pensar apenas em proteger as coisas, mas acima de tudo deveríamos blindar o nosso coração para que ele não seja contaminado por tanta coisa ruim que nos tiram do foco e matam a nossa fé.

Jesus já alerta dizendo que não podemos servir a dois senhores. O nosso coração é de Deus ou não é de Deus; está ou não está com Ele. Quantas vezes corremos o risco de querer dividir o nosso coração. Para Deus não pode ser assim. Ele não pode estar em segundo lugar.

O que fazemos, pensamos diz em quem nós acreditamos. Quando buscamos Deus com sinceridade nossas ações vão sendo transformadas. Nossas ações expressam o que o nosso coração sente. Nossa boca proclama aquilo que está em nosso coração. A quem você serve?

Precisamos vigiar sempre para não nos desviarmos do caminho correto. A nossa única preocupação, busca deve ser a construção do Reino de Deus. Quando nos empenhamos nesta busca, o Senhor nos assegura tudo aquilo do que necessitamos para a nossa caminhada. O foco deve ser um só. Precisamos vigiar para não nos desviarmos do caminho. E não precisamos ter medo, pois o Senhor caminha conosco; só nele a nossa alma tem repouso, tem paz, sente-se em segurança.

Peçamos ao Espírito Santo que iluminando a nossa vida nos ajude a permanecermos no caminho do Senhor. Que não percamos o foco da nossa vida, mas que o busquemos realmente em primeiro lugar, pois sem Ele não temos vida.

Cuidemos para que a nossa vida espiritual não enfraqueça, pois quanto mais longe de Deus, mais inseguros estaremos e infelizes seremos.

Abençoado Domingo e uma semana de paz e bênçãos.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência