27 de abril de 2017

FICA CONOSCO, SENHOR

Estimados irmãos e irmãs. Estamos no terceiro Domingo do Tempo da Páscoa. O Senhor continua caminhando conosco e se manifestando na Palavra, da Eucaristia, na comunidade reunida. Nossa gratidão porque Deus não cansa de nos acompanhar em nossa labuta diária sempre nos ensinando como sermos melhores filhos.

O Evangelho deste Domingo (Lucas 24,13-35) relata que dois discípulos, ainda no Domingo da Páscoa, depois de tudo o que tinha acontecido com Jesus, resolvem abandonar o grupo e tudo o que o Mestre ensinou. Iniciam o caminho de volta. Preferem voltar do que continuar. Sentem-se desanimados com tudo o que tinha acontecido com Jesus.

O Senhor, sempre discreto e atento, põe-se a caminhar com eles. Estavam eles tão preocupados consigo mesmo que nem sequer olharam no rosto do caminheiro e não perceberam a sua presença. No diálogo, expressam sua frustação com o tal Jesus que deveria, segundo eles, libertar Israel com exército, força, poder.

Jesus escuta e faz uma nova catequese com eles para que compreendam que tudo o que aconteceu já fora previsto e descrito nas Sagradas Escrituras desde sempre. Jesus não podia mudar o que estava estabelecido. Cabia a eles entenderem o projeto de Deus. Mesmo assim eles não entenderam e não o reconheceram. Jesus vai além. Repete o gesto da ceia celebrada a poucos dias. Neste gesto, os olhos deles se abrem e reconhecem o Mestre.

Irmãos e irmãs. Vamos trazer a riqueza destes detalhes para a nossa vida. Quantas e quantas vezes não percebemos a presença de Deus em nossa vida. Ele caminha conosco assim como caminhou com os discípulos. Porém, nossos olhos estão cegos, nossos ouvidos surdos e nosso coração endurecido que não o percebemos. Quantas vezes vamos a missa sem a convicção de que Ele está presente na Eucaristia? Quantas e quantas vezes pedimos sinais e milagres e nos esquecemos de olhar para a Cruz e compreender que ela é um grande sinal do amor de Deus por nós? Que a Eucaristia é um milagre que em cada missa se renova e através do qual Deus se faz presente em nosso meio abençoando e santificando o mundo? É uma questão de percepção. Precisamos nos dar conta que Deus continua caminhando conosco, mesmo quando não o percebemos presente.

Ele continua falando conosco através da Igreja, da Palavra proclamada e não o escutamos. Ele continua caminhando no dia a dia e não o percebemos. Ele se dá na Eucaristia e ainda, as vezes, nossos olhos continuam cerrados. Senhor! Aumenta a nossa fé!

Na vida podemos ter duas atitudes: lamentar tudo e reclamar das coisas ou erguer a cabeça e ter um olhar de fé sobre cada acontecimento. Não adianta ficar reclamando, lamentando. Precisamos colocar Deus na frente e Ele vai nos iluminar para vencermos os desafios cotidianos. Deixemos que Ele seja nosso guia, Mestre, Salvador.

A experiência com Ele deve nos tornar mais alegres, motivados, decididos, convictos da nossa fé. Os discípulos, no encontro com Ele, renovam as forças para ir ao encontro dos outros que estavam na comunidade para testemunhar o encontro com o Mestre. Precisamos também nós, testemunhar com alegria o encontro que temos com Ele na Palavra, na Eucaristia, na comunidade reunida.

A Páscoa continua sendo celebrada neste tempo e em cada Domingo do ano. É na santa missa que os filhos se encontram e renovam as forças que vem do Mestre. Forças que nos impulsionam e não deixam desanimar.

Neste dia 30 de abril, celebro com alegria seis anos de sacerdócio. Testemunho o quanto Deus, em sua infinita misericórdia fez por mim e através de mim. Sem a sua graça nada sou. Ele continua me sustentando, guiando, fortalecendo. O encontro diário com a sua Palavra e com a sagrada Eucaristia renovam minha consagração e me fazem amar ainda mais a vocação e a missão que Ele me confiou para manifestar o seu amor.

O lema que inspira a minha missão é “O bom Pastor dá a vida pelas ovelhas!” Quero ser como o Pastor supremo, fazendo da minha vida um contínuo ofertório.

Aproveito para agradecer a todos que me acompanham com sua oração. Este é o maior e melhor presente que posso receber. Através da oração Deus faz muito mais do que imaginamos. Continuem rezando pela minha santificação, pois esta é a meta. Peço perdão porque nem sempre fui coerente com esta grande vocação. A misericórdia de Deus me levanta todos os dias e me faz começar de novo.

A minha primeira missa, presidida no dia primeiro de maio de 2011, foi no mesmo dia em que João Paulo II estava sendo canonizado. Grande alegria e privilégio poder celebrar tudo isso com a intercessão deste santo Papa que manifestou a ternura de Deus a humanidade. São João Paulo II interceda por mim e por todos.

Continuemos rezando uns pelos outros. Continuemos nosso clamor pelo mundo. Senhor, tem piedade de nós!

Abençoado sejam todos os dias da nossa vida.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência