16 de junho de 2017

A MESSE É GRANDE, MAS OS TRABALHADORES SÃO POUCOS

Caríssimos irmãos e irmãs. A Sagrada Liturgia que a comunidade cristã celebra todos os Domingos é um convite a conversão e a não nos esquecermos que o Senhor caminha conosco todos os dias. Celebramos muitas solenidades no decorrer de pouco tempo e com elas manifestamos nossa fé publicamente e o Senhor renova as nossas forças na caminhada pela Eucaristia, através do Espírito Santo e com a sua Palavra transformadora.

Estamos no 11º Domingo do Tempo Comum. Na Leitura do Livro do Êxodo (19,2-6a) o Senhor fala por meio de Moisés ao seu povo dizendo: “Se ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis para mim a porção escolhida dentre todos os povos, porque minha é toda a terra!”

O povo de Israel foi eleito para ser o povo de Deus. Porém, para que isso fosse concretizado, o mesmo deveria saber ouvir a voz de Deus e guardar a aliança. Hoje nós somos esse povo escolhido. Temos o dever de ouvir a Palavra de Deus e guardar a aliança que Ele fez conosco no Batismo e na Cruz.

O diferencial do Povo de Deus e o nosso diante dos outros povos deve ser a escuta da Palavra. A nenhum outro povo Deus falou tão claramente e se manifestou pessoalmente. Nós temos o privilégio de ler, escutar, meditar a sua Palavra. Temos ainda a grande graça de recebe-lo na Eucaristia. A Salvação que Ele nos trouxe pela Cruz selando para sempre uma aliança que nunca mais poderá ser apagada. Por esta sua atitude de amor, nós temos a garantia do céu. Não podemos nos esquecer disso.

Porém, para que o povo de Deus não se perca no caminho, assim como Deus escolheu Moisés e muitos outros profetas, hoje Ele continua escolhendo pessoas para guiar os seus escolhidos. Hoje Deus chama homens e mulheres a serem pastores do povo através da Vida Religiosa Consagrada e Sacerdotal. Sabemos que existem graus no Sacramento da Ordem, a saber: Diaconato, Presbiterato e Episcopado. Depois ainda alguns são eleitos Cardeais e entre estes é eleito o Papa. Toda esta estrutura organizacional é para melhor servir o povo de Deus.

Porém, sentimos em muitos lugares quanto o povo de Deus ainda continua sem assistência. O olhar misericordioso de Jesus continua atento: “Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, coo ovelhas que não têm pastor”. (Evangelho deste Domingo Mt 9,36-10,8).

Temos necessidade de mais religiosos e sacerdotes. Mais Diáconos permanentes e fieis evangelizadores. Por isso é de fundamental importância que a comunidade cristã sinta-se e comprometa-se cada vez mais em ser promotora vocacional, rezando e incentivando as vocações: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

O Dono da messe é o Pai. Precisamos clamar a Ele que chame mais e mais pessoas para que se disponham em levar a sua Palavra e o seu amor aos irmãos e irmãs que ainda não a conhecem. É necessário pedir também pela perseverança e santificação daqueles que já estão neste caminho. Muitos cansam e desistem deste árduo trabalho. Tem ainda aqueles que se perdem em suas próprias motivações e aspirações e esquecem de Deus.

Deus continua chamando. Porém, as vezes, encontra corações fechados que não dão espaço para que Ele trabalhe. Muitos fogem de Deus e depois ficam frustrados por causa das escolhas erradas que fizeram. Temos necessidade de muita oração pela messe.

Tenho um convite a fazer. Ou reforçar caso já tenhas este hábito: reze pelas vocações todos os dias. Tenho certeza que se todos os católicos rezassem uma Ave Maria e um Pai Nosso pelas vocações, não teríamos tanta escassez. Fale sobre vocações na sua família.

Deus abençoe você e sua família todos os dias da nova semana.

Saudações!
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.