23 de junho de 2017

NÃO TENHAIS MEDO


Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus, nosso Senhor! Desejo que as bênçãos do Pai celeste estejam sempre com você e sua família para que continues desenvolvendo com amor, alegria e determinação a missão que o Senhor te confia.

Ser cristão autêntico é desafiador. Viver os valores do Evangelho nos tempos atuais também teu seu risco. Podemos ser criticados, incompreendidos, perseguidos e até martirizados. Ainda hoje muitos sentem-se incomodados pela verdade da Boa Nova de Jesus Cristo e por isso querem calar aqueles que as proclamam. Não devemos ter medo.

Na primeira Leitura (Jr 20,10-13) deste Domingo, o Profeta Jeremias faz um desabafo manifestando um misto de desconforto e esperança. Aqueles que se diziam seus amigos agora o perseguem e querer que ele morra. Querem apanhá-lo em qualquer palavra ou atitude que ele faça e que não condiz com o que ele crê. Porém, o profeta não fica se lamentando. Ele desabafa, mas depois confirma àquilo que ele acredita: “o Senhor está ao meu lado, como forte guerreiro” (v. 11).

No Evangelho (Mt 10,26-33) Jesus também fala deste mesmo assunto. Inicia seu discurso com um imperativo: “Não tenhais medo dos homens, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido” (v. 26).

Assim como Jeremias lamenta a perseguição, Jesus alerta e nos encoraja para não termos medo daqueles que podem até nos calar, mas a Palavra de Deus ninguém pode parar. Não devemos temer as pessoas pois a nossa prestação de contas, ao final da nossa vida, não será entre nós, mas com Deus. Também não podemos ficar intimidados pelas críticas que podemos receber. Não somos perfeitos. Também estamos buscando viver o que acreditados. Porque, se esperarmos ser perfeitos para começar o anúncio, talvez nunca o faremos. A Palavra que pregamos ela nos transforma a seu tempo. Importante é manter o desejo de sermos melhor. Nós semeados, mas é Deus quem faz crescer.

Vemos no cenário político atual como o inimigo faz as coisas sujas e alguns se prestam a isso. Tudo o que foi feito as escondidas, está aparecendo e aos poucos será revelado. As mentiras, corrupções, roubos, desvios, enfim, tudo será conhecido e manifesto. Vemos também como o mal destrói-se a si mesmo. Aqueles que até então gozavam dos bens adquiridos de forma errada, agora esses benefícios são usados contra eles mesmos. Claro que nem todos receberão as condenações merecidas, mas Deus é justo e fará justiça. Podem fugir ou subornar os tribunais humanos, mas não conseguirão fazer isso com o tribunal divino.

Então, amados irmãos e irmãs, precisamos continuar acreditando no bem, na vida, na justiça e na verdade. Este é o caminho que Deus nos ensina e é o caminho de libertação. Não existe nada melhor do que ter a consciência tranquila pelo bem realizado.

Ainda que aparentemente o mal parece dominar o mundo contemporâneo, as forças opressoras parecem avançar sem limites, é dever nosso pregar e viver com retidão as verdades do Evangelho. Quem faz o bem não precisa temer nada, pois Deus está ao nosso lado e quem pode contra Ele?

Três vezes Jesus repete no Evangelho deste Domingo a expressão: “Não tenhais medo!” É o Senhor que nos diz isso. Então por que temer? O que temer? As forças do mal não prevalecerão sobre os que acreditam e buscam a Deus de coração sincero. São João Calábria dizia: “o mundo todo é de Deus!” Então onde estivermos, Ele estará conosco.

Fica o convite final de Jesus: “Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus” (v. 32-33). Não vamos ter vergonha de dizer que somos católicos, que amamos e servimos a Deus. Precisamos expressar com alegria a nossa fé, pois temos um Deus que sempre nos acompanha e nos ama infinitamente.

Deus abençoe tua vida e te faça um grande evangelizador.

Saudações.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência