30 de junho de 2017

TU ÉS O FILHO DE DEUS

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus. Chegamos ao mês de julho. Meio ano já se passou. Continuamos a caminhada desejando nosso crescimento humano, afetivo e espiritual no ensejo que vivermos sempre mais para Deus.

Neste Domingo celebramos a Solenidade de São Pedro e São Papa e o dia do Papa. Dois grandes Apóstolos que se tornaram referências para a nossa fé pelo seu testemunho, coragem, fé, ousadia. Mas por que eles fizeram tudo isso por Jesus Cristo?

Esta é uma pergunta fundante. Pois a experiência que ambos tiveram com a pessoa de Jesus Cristo, mudou para sempre a vida deles. Tornaram-se grandes líderes e evangelizadores que nada e ninguém os pode parar. Até o martírio que sofreram, tornou-se fonte de novos cristãos. E a nossa fé conta também com essa tradição Apostólica através da qual Deus manifesta sua vontade e dá as chaves da interpretação correta e segura da Sua Palavra.

A pergunta de Jesus aos discípulos “e vós, quem dizeis que eu sou”? continua ressoando ainda hoje para todos os batizados. Quem é Jesus para mim? O que temos a dizer deste questionamento? Quanto mais perto de Deus estamos, mais vamos o conhecendo.

Vamos por parte. Primeiro precisamos entender que nós não temos domínio sobre o Espírito Santo. Quando Pedro responde sobre quem Jesus era, Ele mesmo diz: “feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu!” (Mt, 16,17). Deus se manifesta a quem Ele quer e quem saberá compreender suas revelações. Vamos mergulhando neste mistério a medida que vamos nos aproximando dele e quando Deus sabe que temos condições que acolhe-lo e compreendê-lo.

E sobre esta experiência que Pedro faz é que Jesus confia a ele a chave da Igreja, da sua Igreja. Jesus não confiou isso a nenhum outro. Por isso, todos os que quiserem ocupar esse lugar por vontade própria estarão incorrendo em erro, pois não depende da vontade humana, mas da vontade divina. Pedro não participou de um concurso, mas foi escolhido porque Deus o quis e porque tinha os elementos necessários para conduzir a Igreja.

Hoje celebramos o dia do Papa. Assim como Pedro e Paulo, também os Papas e os Bispos, ao longo da história foram escolhidos por vontade de Deus e não por vontade dos homens. Em alguns momentos da história foi dada muita ênfase aos elementos humanos, mas Deus foi corrigindo e mostrando que a Igreja existe para construir o Reino e não é lugar de promoção das pessoas.

Rezemos pelo Papa Francisco e por todos os bispos que são os sucessores diretos dos Apóstolos. Eles tem a missão de viver a sua fé, testemunhar o amor de Jesus e ensinar o povo de Deus para que não se perca no meio do caminho e não seja enganado pelos falsos pastores que querem tirar as ovelhas do caminho da salvação.

Precisamos rezar, assim como desde o início a Igreja fazia. A Leitura dos Atos dos Apóstolos (12,1-11) nos lembra disso: “Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele!” Que gesto bonito dos fieis e que somos convidados a imitar ainda hoje. É missão de todos nós rezarmos pelos nossos pastores para que eles sejam fortes e fieis na missão que o Senhor os confia.

Então, a nossa Igreja nasce do coração de Jesus e é conduzida aqui na terra por homens por Ele escolhido. Devemos obediência ao Papa pois ele está nesta missão por vontade de Deus e por estar lá pela vontade divina, tem luzes especiais que nos orientam no caminho certo.

Deus abençoe nossos pastores para que eles tenham sempre a sabedoria de nos orientar no caminho correto da fé.

Abençoado Domingo e uma semana de muita paz.

Liturgia da Solenidade
1ª Leitura - At 12,1-11
Salmo - Sl 33(34),2-3.4-5.6-7.8-9 (R. 5)
2ª Leitura - 2Tm 4,6-8.17-18
Evangelho - Mt 16,13-19

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.