6 de julho de 2017

APRENDEI DE MIM, PORQUE SOU MANSO E HUMILDE DE CORAÇÃO

Estimados irmãos e irmãs. Com a graça de Deus chegamos a mais um final de semana. Bom podermos nos reencontrar na casa do Senhor e assim manifestar a Ele o nosso louvor e aprender com a sua Palavra.

É de fundamental importância que todos os que estão envolvidos na preparação da santa Missa sempre façam tal preparação iluminados pela Palavra de Deus correspondente ao dia. Muitos escolhem cantos e preparam ambiente sem estar iluminados pela Palavra que permeará o que será celebrado.

Ainda tem grupos de cantos e cantores que escolhem para as celebrações cantos que acham ser bonitos ou que gostam. Este não é o critério para a escolha de cantos. Sempre devem estar em consonância com a Palavra de Deus, pois eles visam ajudar a comunidade a celebrar melhor o mistério Pascal. Nem todos os cantos, chamados de ‘bonitos’, são litúrgicos. Em vez de ajudar, podem até desfocar o objetivo sagrado da santa Missa.

Seria muito bom se todas as pessoas da comunidade pudessem se reunir em algum momento da semana para rezar e partilhar a Palavra de Deus. Isso vem se perdendo ao longo da história e muitos nunca fizeram tal experiência. A Palavra é o alimento essencial dos filhos e filhas de Deus.

Neste final de semana Jesus louva o Pai porque revelou aos pequenos as coisas do céu (Evangelho de Mateus 11,25-30). Sim! Deus revela aos que tem a capacidade de acolher o mistério, não aos que pensam que tudo sabem e que não precisam de Deus e da ajuda dos irmãos.

Continuando, o Mestre faz um convite a todos nós: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso”. Em Cristo todos nós somos acolhidos e amados. O que Ele nos pede não é pesado, mas um ‘fardo’ leve, capaz de ser carregado por todos, pois ele pede de nós o amor, perdão, justiça. Estes princípios não devem ser um peso para nós, mas é o caminho seguro de Salvação. Não podemos fazer da fé, do discipulado um peso, mas viver, como vem insistindo o Papa Francisco, com alegria e entusiasmo o ser cristão. Pois Deus quer a vida e a felicidade dos seus filhos e filhas e não que eles sejam tristes e amargurados.

Outro convite que Jesus faz é para que aprendamos com Ele a sermos verdadeiros discípulos, pois Ele é “manso e humilde de coração”. Precisamos ser mansos, pois não é pela violência que as coisas se resolvem. A paz não pode ser almejada utilizando-se de meios de destruição da vida. O Filho de Deus é humilde, simples. Que grande ensinamento Ele nos deixa. Por que as vezes alimentamos em nosso coração a soberba se Jesus foi simples e pequeno? Por que queremos ser orgulhosos se o Filho de Deus foi humilde? Por que queremos os primeiros lugares ou os mais altos cargos e funções se o Messias nos ensinou a sermos os últimos? Provavelmente ainda não compreendemos o que é ser cristão. Ser cristão, não é status, mas serviço.

Finalizamos com as palavras sábias de São Paulo aos Romanos (8,9.11-13): “viveis segundo o espírito, se realmente o Espírito de Deus mora em vós”. Iluminados pelo Espírito de Deus recebido no Batismo, somos convidados a viver sempre mais perto da graça de Deus e a nos identificarmos em tudo com Jesus. Imitar suas práticas, viver seus ensinamentos é um dever de todos os cristãos.

Então vamos ao seu encontro para escutar sua Palavra e recebe-lo na sagrada Eucaristia. Em Cristo somos mais fortes e nos tornamos mansos e humildes, como Ele é.

Abençoado Domingo e uma semana de paz, mansidão e humildade. Exercitemo-nos nestas boas práticas.

Saudações.
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência