13 de julho de 2017

O PODER DA PALAVRA DE DEUS

Queridos irmãos e irmãs. Eis-nos aqui rezando e refletindo a Palavra de Deus com o seu grande poder de realizar tudo aquilo que diz. Ela nos anima, consola, renova, desafia, transforma, santifica. Tem o poder de realizar tudo isso porque é Palavra de vida eterna, Palavra de Deus!

Na primeira Leitura do Livro do Profeta Isaías (55,10-11) o próprio Senhor diz: “assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra, e fazê-la germinar e dar semente, para o plantio e para a alimentação, assim a palavra que sair de minha boca: não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”. Tudo o que o Senhor deseja, assim será, pois a sua Palavra é verdadeira e consacratória, como dizia São João Calábria, ou seja, realiza o que diz.

Esta Palavra, amados irmãos e irmãs, é semeada em nosso coração todos os dias quando a lemos e meditamos. Ela, como já dissemos, tem o poder de nos transformar tornando-nos cada dia melhores filhos e filhas de Deus. Nela encontramos as orientações para que a nossa vida seja vivida com mais sabedoria. Sábio é aquele que medita e vive a Palavra de Deus.

O Senhor está sempre com o coração aberto e fala para nós, pois Ele é Pai que deseja ensinar seus filhos a verdadeira sabedoria. Nosso coração precisa estar atento para colher esta Palavra, pois do contrário, ela não produzirá os frutos necessários. Isso Jesus nos ensina na Parábola narrado pelo evangelista Mateus (13,1-23).

A fala do Mestre inicia indicando ação que o Pai realiza nos terrenos dos corações dos seus filhos e filhas: “O semeador saiu para semear”. Ele continua semeando e semeia com generosidade mesmo sabendo que as vezes nós não acolheremos esta Palavra e não deixaremos que ela produza os frutos.

Como está o nosso coração? Temos cuidado dele para que não seja contaminado por tantas coisas negativas? As vezes fazemos do nosso coração uma lata de lixo, jogando para dentro dele tudo o que não presta. Deveríamos sempre guardar as coisas boas, aquilo que nos edifica, anima, encoraja, santifica. Deus não quer a tristeza e nem o desânimo dos seus filhos e filhas. Ao contrário, Ele deseja a nossa felicidade e o nosso bem. Ele tudo realiza para que nós sejamos alegres e realizados. Deus não nos colocou neste mundo para vivermos infelizes.

Sabemos que a nossa vida é feita de escolhas e as escolhas tem consequências concretas no dia a dia. Colhemos os frutos das nossas escolhas sejam elas certas ou erradas. Colhemos ainda os frutos das escolhas errôneas ou acuradas que o mundo faz, outras pessoas fazem, porque vivemos em comunhão com tudo e com todos e quando fazemos algo bom ou ruim isso repercute em nós mesmos e no mundo.

Por que escolhemos errado? Muito provavelmente erramos nas escolhas quando elas são feitas somente a partir do nosso ponto de vista ou embasadas em nossos sentimentos e desejos. Quando deixamos a Palavra de Deus em segundo plano. Quantas e quantas vezes escolhemos as coisas erradas mesmo sabendo que elas estão erradas porque damos ouvido ao nosso egoísmo. Depois reclamamos das consequências.

Exemplos de escolhas erradas. A Palavra nos ensina a perdoar. Rezamos para que Deus nos perdoe assim como nós perdoamos... Mesmo assim ainda guardamos ódio, rancor, raiva das pessoas. A Palavra diz que Deus é amor e quem permanece no amor em Deus permanece e Deus permanece nele. Ainda assim amamos geralmente aqueles que nos agradam, que fazem o que queremos e como queremos. Aprendemos da Palavra que devemos partilhar. A falta de partilha gera exclusão, miséria, sofrimento. Sabemos, mas as vezes não fazemos. Assim poderíamos enumerar muitos outros exemplos.

Preparemos bem o nosso coração para que saiba acolher a Palavra com alegria e deixar que ela produza todos os frutos de que necessitamos para viver melhor a nossa fé. Tiremos as pedras que deixam nosso coração duro e sem vida; os espinhos que sufocam a Palavra. Peçamos a cura do desinteresse pela Palavra, assim como aqueles que permanecem na beira do caminho, sem querer caminhar e se comprometer com a vida, com as coisas de Deus. As vezes queremos uma fé sem compromisso e um Deus que tudo faz por nós, como se Ele fosse nosso escravo.

Que a Palavra de Deus permaneça em nossos lábios, em nosso coração e em nossa mente. Amém!

Deus abençoe a todos nós!

Saudações

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência