10 de agosto de 2017

“Coragem! Sou eu! Não tenhais medo!”

Estimados irmãos e irmãs. Deus seja louvado pelas maravilhas que realiza na história. Neste segundo Domingo do mês vocacional a Igreja reza pela vocação familiar e celebra o dia dos pais.

Gostaria de convidar você mais uma vez a refletirmos, iluminados pela Palavra de Deus, sobre alguns valores que as famílias não podem abrir mão e que devem transmitir aos seus descentes. Os pais não podem se eximir das responsabilidades como primeiros educadores dos valores e da fé.

No Evangelho (Mateus 14,22-33) os discípulos estão em alto mar e a barca é agitado pelas ondas fortes. No meio desta agitação e insegurança vem o Mestre ao encontro deles.

Vamos pensar a barca como sendo nossas famílias. O mar é o mundo. As ondas contrárias são todas as situações que querem destruir nossas famílias. São muitos contra valores que atingem em cheio nossos lares e as vezes parece que vão fazer a barca afundar.

Os discípulos em um primeiro momento pensaram que era um fantasma que vinha em direção deles. Quando não temos uma visão clara de Deus e dos valores do Evangelho, pensamos o mesmo. Ficamos ainda mais apavorados porque pensamos que Deus nos abandonou. Somos nós que abandonamos Ele.

Nos momentos de provação, tem os Pedros da vida que querem provar a existência de Deus. Querem saber se realmente é Ele e por duvidarem afundam. Não é Deus que tem que dar provas da sua existência e do seu amor por nós. Mas somos nós que devemos fazer as coisas para agradá-lo. Alias, Ele já nos provou seu amor para conosco na Cruz.

Jesus percebe a pouca fé de Pedro e estende a mão para socorrê-lo. Nos momentos de dificuldade, quando tudo parece perdido; quando estamos afundando é o próprio Cristo que estende a sua mão e vem em nossa direção para nos socorrer pois Ele conhece as nossas fraquezas e o nosso coração.

Nossas famílias precisam cultivar e resgatar sempre a importância da oração. Os pais tem o dever de ensinar seus filhos a rezar. Infelizmente muitos se omitem nesta missão. Assim como Elias encontra o Senhor na brisa suave (1ª Leitura 1Rs 19,9a.11-13a) as famílias precisam do seu momento para estar com o Senhor a fim de escutar sua palavra e saber por onde caminhar.

Vemos o mundo mergulhado na vergonhosa corrupção e crescente sempre mais as forças do mal, como a violência, ódio, drogas etc. Precisamos fazer com que nossas crianças acreditem e construam, instruídos por nós, um mundo de mais justiça, paz, igualdade, respeito. Não podemos pensar que o mal é normal; que as coisas erradas se tornem certas. Valores não tem prazo de validade.

Que o Senhor abençoe a missão das nossas famílias para que sejam cada vez mais um santuário onde a vida possa se desenvolver em todos os aspectos.

Abençoado Domingo e Feliz dia aos pais. Deus abençoe todas as famílias.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.